Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Desafio Uma Quadra por Dia

20.10.20, Olga Cardoso Pinto

A abelha mais querida desta blogosfera anda sempre muito ativa a desafiar aqui os colegas, agora são quadras!

Ai Ana, essa cabeça anda sempre a pensar, onde vais tu desencantar estas ideias? Mas olha que eu adorei e aceitei o desafio, cá estou a participar. Tal como tu disseste: uma musa sussurrou-me ao ouvido... e eu aproveitei.

Aqui está a minha quadra para o desafio Uma quadra por dia da Ana de Deus, do blog Busy as a bee on a rainy day 

manta retalhos3.jpg

Manta de Retalhos

A imensa manta desta vida
Costurei-a longa em mil retalhos
Para encontrar nela a felicidade querida
Bordei-a intrincada com dois mil atalhos

 

Escrita e ilustração

19.10.20, Olga Cardoso Pinto

mãe dágua imagem2.jpg

Sinopse do romance Mãe d'Água, da minha autoria, escrito ao longo de sete anos. Um romance baseado em pesquisas e na realidade infelizmente cada vez mais evidente, e com uma boa dose de ficção.

O Mundo como o conhecemos, acabou!
Num tempo em que Água Potável está a desaparecer e as graves alterações climáticas trazem à Humanidade o perigo da sua própria extinção, há uma nova ordem com um Governo Mundial - as populações são monitorizadas, o paradigma da civilização é posto em causa... será que é possível ao Amor prevalecer?
Um romance de amor e sobrevivência, onde a Vila é um oásis num mundo em convulsão. Quando a água escasseia, a Vila parece florescer com a sua abundância... como é isto possível? Será que há um segredo muito bem guardado?
Eva, a personagem central deste enredo, deixa-nos entrar na sua família e leva-nos para esta ficção contada numa cadência que se vai adensando até um final inesperado.

 

Imagem: ilustração para o romance Mãe d'Água por Olga Cardoso Pinto

 

Parabéns Ana Luísa!

14.10.20, Olga Cardoso Pinto

ana luísa amaral.jpg

Ana Luísa Amaral venceu o Prémio Literário Leteo 2020, criado pela Direção de Ação e Promoção Cultural da Câmara Municipal de León e do Clube Leteo Cultural, graças à sua poesia que traduz em belas palavras e musicalidade os aspetos tão prosaicos da vida.

Podem ler aqui a notícia na sua totalidade. Sugiro também a leitura da entrevista que recentemente deu ao Eu Leio em Casa. Espero que apreciem a sua poesia.

Bjs

"Só mal tocando as cordas
Da memória
Consegue o coração ressuscitar"

Ana Luísa Amaral

 

Ser Criança

07.10.20, Olga Cardoso Pinto

crianças na praia (2).jpg

Ser Criança ou Canto a tempos felizes

Não há coisa mais bonita do que uma feliz lembrança
De recordar momentos belos, de estar contente, de ser criança


Num afago efusivo, da brincadeira sem fim, de uma ilusão inocente
Recordar com ternura quando fomos pequena gente


Dessa inocência feliz, por vezes mesmo do choro sentido
Pois desnubla-se em breve o céu, após parecer tudo perdido


Ah, que saudades tenho eu destes tempos de ingenuidade
De voltar a ser pequenina, de ser pura assim... como tu nessa idade!

 

Dedicado a todas as crianças, em especial à minha netinha

 

Adiós Quino!

01.10.20, Olga Cardoso Pinto

Mafalda e Eu1.jpg

Na "cavaqueira" com a Mafalda...

 

A minha homenagem ao cartoonista que tornou em criança a consciência, a crítica e o humor ao nosso mundo. Na minha infância e quando adolescente, gostava de ler a Mafalda e de colorir as vinhetas que eram a preto e branco.

Obrigada Quino

“Boa noite mundo! Boa noite e até amanhã, mas fique de olho! Tem muita gente irresponsável acordada, viu?”

Mafalda