Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

À Janela

13.05.24, Olga Cardoso Pinto
    Por trás daquela janela há algo que não se quer revelar, há segredos escondidos dos olhares. Bem no alto, a janela permite ver o exterior, mas o interior fica ocultado, nada transparece, apenas o ondular do tecido que permeia o vidro. De vez em quando, lá se abre para deixar entrar o ar e a luz sem ser coada pelo linho da cortina, ainda atento para ver se te miro...pobre de um jardineiro que da beleza cuida, porém, a mais bela flor recata-se e eu encantado estou. O jardim (...)

Navegar

09.05.24, Olga Cardoso Pinto
    Construí um barco que me levaria num caminho líquido, Deslumbrante, estável e seguro Ninguém me disse que a viagem seria calma, Pois o mar nem sempre é assim Embarquei crente que a maré me levaria num embalo, Porém a tormenta sempre espreita Sopravam ventos favoráveis e o sol refletia um desejo Viajava feliz e incauta no espelho das águas  Ribombou no céu a tormenta levando-me para longe Fiquei perdida em alto-mar, sem rumo nem guia E surgiste tu salvando-me da vaga, da (...)

Dia da Mãe

05.05.24, Olga Cardoso Pinto
💝 Feliz Dia da Mãe 💝 Para todas as mulheres que fizeram de si ninho e esteio Que são leme e bússola  Pontos cardeais e chão firme A Estrela da Manhã e o farol Que são o mundo e o infinito    🌸  

Caminhar pela Natureza

02.05.24, Olga Cardoso Pinto
🌸 Uma caminhada pelo campo, em comunhão plena com a Natureza, permite-me encontrar tantas flores, das quais, na sua maioria, não sei o nome. Apesar da minha ignorância, deleito-me ao fotografá-las, contemplando a sua inegável beleza e singularidade. Estão ali, à beira dos caminhos embelezando-os, atapetando muros e pedras, numa vida breve como alimento e propagação da espécie, e eu alimento o espírito e a minha felicidade por encontrá-las. 🌸  

Ser Sol

26.04.24, Olga Cardoso Pinto
Um sol Pode ser tudo Pode ser algo que ilumine Irradiando energia na nossa vida Pode ser o sol no céu azul O sol da meia-noite A lua iluminando as trevas Pode ser alguém no teu caminho Uma flor do teu jardim... Podes ser tu, posso ser eu...    

Uma verdadeira Obra de Arte

Artigo de opinião

19.04.24, Olga Cardoso Pinto
    A Arte de ser Artista, Mulher e Cinquentona em Portugal Muito difícil conseguir trabalhos, de atrair a atenção de quem usa a ilustração como comunicação e valorização de livros e outros suportes. Muito difícil competir com jovens artista arrojados que tão bem se promovem nas redes sociais. É uma área complicada onde abundam os freelancers, mal pagos, e pouco valorizados, agora juntem a idade...sim, para este mundo hiper-criativo e acelerado sou uma “cota”. Mas sou (...)

Escritas minhas

Romance e Ficção

17.04.24, Olga Cardoso Pinto
  "Todos diziam que estivera muitos dias desaparecida, fechada no compartimento do moinho, junto à nascente subterrânea, mas Eva não recordava nada disto. Jo falara um pouco, não insistiu no assunto para não a apoquentar. Ela recordava-se de alguns momentos. Os médicos, que a assistiram no hospital, diagnosticaram-lhe hipotermia que a levou a momentos de inconsciência, assim como a prolongada privação de alimentos. Eva sabia que comera. Lembrava o sabor do diáfano alimento que (...)

Minúsculo

15.04.24, Olga Cardoso Pinto
    Uma flor tão pequenina emerge discretamente de uma planta que não foi semeada, cresceu assim à boleia de uma bonita suculenta, fez-se convidada e parceira de vaso.  De tão diminuto tamanho quase passa despercebida, mas esta beleza delicada, de corola amarela intensa e pétalas brancas, leva-me a admirá-la pela sua tenacidade e perseverança em lutar pelo seu lugar ao sol e na vida. Quantos de nós somos assim, pequenos e despercebidos, de uma beleza imensa como seres. Temos o (...)

19 anos felinos

09.04.24, Olga Cardoso Pinto
  🎂   A minha gatinha, a Cookie, completa hoje 19 anos! Um feito para um gato, desculpem, uma gata. É a nossa companheira desde os 5 meses, partilhando a sua vida com os "manos" que cresceram com ela. E, para festejar, hoje terá mimos a dobrar e este poema/estória que lhe é dedicado.    Cookie Rinhonha A Gata Cookie Rinhonha É uma doçura parecendo gente Sempre esbelta e nada panhonha Sem nunca ter usado pente À janela gosta de estar No seu ripanço felino Também gosta de (...)

Vens passear comigo?

03.04.24, Olga Cardoso Pinto
    Venham comigo nesta viagem. Trago-vos um pouco do Minho, dos caminhos e viagens por este "mundo" encantado das serras, do verde e do céu sem fim. Liguem ao mesmo tempo o vídeo e a música, nesta bela faixa de Nina June - When We Fall e deixem-se "cair de amores" por estes lugares.