Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Dia do Leitor

07.01.20, Olga Cardoso Pinto
Celebra-se hoje o Dia do Leitor. Para nós leitores, cada livro é uma aprendizagem, uma descoberta, um novo mundo que se abre e revela algo que nos irá melhorar! O livro é conhecimento, é poder e libertação, no entanto só o será se for lido e como é necessário, direi mesmo urgente, ler!  Qual ou quais os livros que marcaram as vossas vidas e que recomendariam aos mais jovens? Um abraço para ti querido leitor e querida leitora do meu blog!   

Fazer um ano novo

06.01.20, Olga Cardoso Pinto
Hoje vi o amanhecer. Um sol radioso num céu azul claro, onde a neblina se espreguiçava lânguida, sem pressas em esfumar-se para o etéreo. Pássaros acordavam aos poucos, ainda um pouco dormentes neste amanhecer frio. Ao longe, o ronronar dos motores anunciava que o rebuliço se iniciava nesta segunda-feira banal. As festas, os convívios, os excessos vão ficando ausentes no tempo que se irá desfiar em mais um ano! Um ano novo em decisões velhas, em tragédias que queimam e (...)

A melhor prenda de Natal: um livro

30.12.19, Olga Cardoso Pinto
Olá! Estive uns dias ausente daqui do meu cantinho. Espero que o vosso Natal tenha sido bem desfrutado em família e em feliz celebração. Hoje falo de prendas natalícias. Quais as vossas melhores prendas deste Natal? A minha é um livro que recomendo pela sua revelação, pela sua beleza, pelos seus esclarecimentos e ensinamentos. Para os leitores que adoram a Natureza e não só! "A Vida Secreta das Árvores" de Peter Wohlleben revela-nos o mundo misterioso das árvores. (...)

Um ano a blogar

Como construí uma alma nova

17.12.19, Olga Cardoso Pinto
O meu blog faz hoje um aninho! É pequenino, ainda agora começou a andar…, porém já tem muitos amigos que o visitam, uma equipa pronta para ajudar e dar-lhe o destaque quando o merece e é mimado pelas amizades que aqui no Sapo Blogs foi ganhando. Ainda tem muito para revelar, muitas sensações para sentir, mas isso só o tempo o dirá, porque até ser velhinho há muitas oportunidades e experiências para viver! O meu blog é uma parte, uma metade de mim, uma alma nova que se (...)

Dezembro!

16.12.19, Olga Cardoso Pinto
Dezembro! És o último dos meses, encerras o desfilar do tempo nas folhas do calendário. Nasceste envolto em neblina, frio, dias mendinhos e longas noites, no entanto és cheio de festividades e celebrações. O solstício de inverno continua celebrado em ti pela natureza que se enovela para letargicamente viver em suspenso. Em ti nasceu o amor que me cativou, o filho segundo num desejo assoberbado e a fraternidade de uma alma semelhante à minha! Em ti faço balanços de um ano vivido e (...)

Poesias de Natal

Ary dos Santos

13.12.19, Olga Cardoso Pinto
Quando um Homem Quiser Tu que dormes à noite na calçada do relento numa cama de chuva com lençóis feitos de vento tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento és meu irmão, amigo, és meu irmão E tu que dormes só o pesadelo do ciúme numa cama de raiva com lençóis feitos de lume e sofres o Natal da solidão sem um queixume és meu irmão, amigo, és meu irmão Natal é em Dezembro mas em Maio pode ser Natal é em Setembro é quando um homem quiser Natal é quando nasce uma (...)

Ponto a Ponto se une um Conto

Histórias de uma Árvore - 3º capítulo

12.12.19, Olga Cardoso Pinto
Olá Amigas e Amigos Leitores! Hoje partilho o último capítulo do conto Histórias de uma Árvore e com ele termino a rúbrica Ponto a Ponto se une um Conto, entretanto regressará após as festividades. Espero que tenham gostado das leituras às quinta-feiras e aguardo a vossa presença em futuras tertúlias de contos ou outras ficções aqui no blog. Obrigada pelo vosso apoio e simpatia! Bjs          Maio chegou pleno de sol, de dias longos e noites cálidas. Os grilos cantavam (...)

Poesias de Natal

Fernando Pessoa

10.12.19, Olga Cardoso Pinto
Natal na Província Natal... Na província neva. Nos lares aconchegados, Um sentimento conserva Os sentimentos passados.   Coração oposto ao mundo, Como a família é verdade! Meu pensamento é profundo, Estou só e sonho saudade.   E como é branca de graça A paisagem que não sei, Vista de trás da vidraça Do lar que nunca terei!   Fernando Pessoa, in 'Poesias'