Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Ser Criança

07.10.20, Olga Cardoso Pinto
Ser Criança ou Canto a tempos felizes Não há coisa mais bonita do que uma feliz lembrança De recordar momentos belos, de estar contente, de ser criança Num afago efusivo, da brincadeira sem fim, de uma ilusão inocente Recordar com ternura quando fomos pequena gente Dessa inocência feliz, por vezes mesmo do choro sentido Pois desnubla-se em breve o céu, após parecer tudo perdido Ah, que saudades tenho eu destes tempos de ingenuidade De voltar a ser pequenina, de ser pura (...)

Adiós Quino!

01.10.20, Olga Cardoso Pinto
Na "cavaqueira" com a Mafalda...   A minha homenagem ao cartoonista que tornou em criança a consciência, a crítica e o humor ao nosso mundo. Na minha infância e quando adolescente, gostava de ler a Mafalda e de colorir as vinhetas que eram a preto e branco. Obrigada Quino “Boa noite mundo! Boa noite e até amanhã, mas fique de olho! Tem muita gente irresponsável acordada, viu?” Mafalda

Escrever é...

29.09.20, Olga Cardoso Pinto
Escrever é desprender-se do tempo, soltar amarras, criar estórias e tecer vidas É reinventar-se, ser controverso, imaginar mundos, ser ilusão É tocar outros, fazê-los sonhar, inspirar felicidade Escrever é realização, alegria imensa, uma paixão    

Bem-vindo Outono!

23.09.20, Olga Cardoso Pinto
Tu chegaste envolto em neblina e chuva miúda, bateste na vidraça e eu admirei-te. Desta janela vejo a sucessão das estações, como num giratempo que num ápice muda tudo. E tu vens engalanado de tons quentes que contrastam com as novidades que trazes. Em breve tudo ficará sereno, em repouso a aguardar... mas a tranquilidade também é boa, assim posso te desfrutar.  

O meu Mar

21.09.20, Olga Cardoso Pinto
Nunca o mar me pareceu tão meu... Nesse adeus breve, nessa viagem tão próxima De uma memória infantil, de recomeços e chegadas No embalar das ondas, do espraiar descontraído Do teu cantar... Do teu cheiro a Mar...   Foto:  Praia do Lacém Mar: Cabanas / Cacela Velha  

Ilustração de histórias reais

09.09.20, Olga Cardoso Pinto
A Felicidade não me cabe no coração. Ela transborda do meu ser, enleando-se em todos aqueles que contigo partilham o Amor. Vai em volteados como um cordão umbilical enroscar-se em ti, nesse teu pequenino corpo, nessa alma pura e nesse coraçãozinho tão jovem. Aguardo para que possa balançar contigo neste baloiço da vida...   Com Amor para a Benedita    

Feliz Citação

31.08.20, Olga Cardoso Pinto
"No conto tudo precisa de ser apontado num risco leve e sóbrio: das figuras deve-se ver apenas a linha flagrante e definidora que revela e fixa uma personalidade; dos sentimentos, apenas o que caiba num olhar, ou numa dessas palavras que escapa dos lábios e traz todo o ser; da paisagem somente os longes, numa cor unida". Eça de Queiroz      

Conto: A Primavera num Arco-Íris

2ª parte

25.08.20, Olga Cardoso Pinto
Para hoje cá vai a 2º parte do conto, continuando a história que foi iniciada semana passada. Aqui está a 1ª parte para quem não leu Boa leitura Bjs   ***        À medida que os humanos se afastavam, aproximavam-se os animais, das cidades e das localidades desertas de gente, talvez curiosos pela ausência humana, em vontades para explorar todo aquele mundo (...)