Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Ilustrando sentimentos

Evasões virtuais

30.04.20, Olga Cardoso Pinto
Como as nossas atividades, neste tempo de confinamento, se tornaram essencialmente virtuais, vou dar uma caminhada por este bosque virtualmente criado para um conto da minha autoria. Já volto... querem vir?  «Já sinto o odor da floresta, o perfume da Natureza. O trinar das aves ondula pelos meus ouvidos. A brisa fresca revolve as tenras folhas dos carvalhos e prende-se à madeixa dos meus cabelos, zombando da minha admiração pelo cenário que me cativa. O cantarolar da água (...)

Quando tudo isto acabar...

29.04.20, Olga Cardoso Pinto
Quando tudo isto acabar Vou beber um café Passear ao luar Fazer uma soirée Fazer poemas sem jeito Fazer o pino e até cantar Vou abrir o meu peito Escrever um livro a sonhar Desfiar uma história Letras bonitas oferecer Vou pintar uma memória Ilustrar um prazer Abrir a janela e sorrir Fazer o futuro brotar Dar-te a mão e sair Quando tudo isto acabar.  

Poesia de Primavera

28.04.20, Olga Cardoso Pinto
Porque é Primavera e há vida a correr lá fora   Sei um Ninho de Miguel Torga Sei um ninho. E o ninho tem um ovo. E o ovo, redondinho, Tem lá dentro um passarinho Novo. Mas escusam de me atentar: Nem o tiro, nem o ensino. Quero ser um bom menino E guardar Este segredo comigo. E ter depois um amigo Que faça o pino A voar...

Boas leituras

27.04.20, Olga Cardoso Pinto
A sugestão de leitura para hoje é O Castelo, do autor Luís Zueco, sob a chancela da editora Alma dos Livros. É uma interessante história ficcionada, inspirada na vida real - a construção do Castelo-Abadia de Loarre, uma fortaleza de traça românica que se situa entre a planície e os Pirinéus aragoneses, Espanha. Este romance histórico prendeu-me da primeira à última página, passado na Idade Média, uma época de grandes conturbações, de grandes feitos e fonte de muitas (...)

Pomba da Liberdade

25.04.20, Olga Cardoso Pinto
Passaste pela alta janela, nesse voo rasante Quis ir contigo no teu destino e mais adiante Deixei voar contigo o meu esperançoso pensamento Ansiando por novos dias luminosos e por novo alento Ir livremente e sem amarras contigo viajar Ver-te em cada nascer do sol, na alvorada a despontar Esperança, fé e alegria serão sempre o meu sentir Por ti Liberdade, em abril e sempre no tempo a sobrevir.   A convite da amiga MJP do blog Liberdade aos 42 (...)

O respirar da Terra

Texto de opinião

24.04.20, Olga Cardoso Pinto
Uma peça a elogiar - a abertura do Jornal das 8 da TVI, pelo jornalista José Alberto de Carvalho, sobre a comemoração do Dia Mundial da Terra, emotiva e que me comoveu, eu uma humilde habitante deste lugar partilhado por tantos outros seres. Mas fica a questão: depois de tudo passar e existir vacina para este vírus, será que voltaremos a dar importância ao Dia Mundial da Terra? Ou foi só neste dia em que a Humanidade privada da sua liberdade, parada nas suas atividades, se deu (...)

Dia mundial do Livro

23.04.20, Olga Cardoso Pinto
Ler um livro é abrir portas, deixarmo-nos ir numa viagem desconhecida, envolvermo-nos na história, confidenciarmos com as personagens. Ler um livro é despertar memórias, vivenciar situações e realidades, conhecer outros mundos e novos sentimentos. Escrever um livro é doação, é convidar estranhos para um mundo inventado ou inspirado. Escrever um livro é contar histórias, é dar-se em palavras, é convite ao sonho. Livros são acontecimentos onde a palavra escrita pode ser (...)

Dia Mundial da Terra

22.04.20, Olga Cardoso Pinto
"Nunca o homem inventará nada mais simples nem mais belo do que uma manifestação da natureza. Dada a causa, a natureza produz o efeito no modo mais breve em que pode ser produzido." Leonardo da Vinci Amar, Proteger, Respeitar este planeta Terra que nos acolhe Imgem: Nábia dando água ao mundo, autoria Olga Cardoso Pinto