Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Conto: A Primavera num Arco-Íris

2ª parte

25.08.20, Olga Cardoso Pinto
Para hoje cá vai a 2º parte do conto, continuando a história que foi iniciada semana passada. Aqui está a 1ª parte para quem não leu Boa leitura Bjs   ***        À medida que os humanos se afastavam, aproximavam-se os animais, das cidades e das localidades desertas de gente, talvez curiosos pela ausência humana, em vontades para explorar todo aquele mundo (...)

Conto: A Primavera num Arco-íris

1ª parte

17.08.20, Olga Cardoso Pinto
Hoje inicio a partilha do conto A Primavera num Arco-Íris do qual já tinha publicado a sinopse. Esta história ficcionada, foi inspirada e escrita em pleno confinamento. Ainda hesitei na sua composição, porém a tentação de criar foi mais forte. Deixei vaguear a imaginação para além das paredes de casa, dos pensamentos e dos sentimentos que me assolavam. Tive muito onde me (...)

Escrita e ilustração

Conto «A Primavera num Arco-Íris»

12.08.20, Olga Cardoso Pinto
Sinopse *** O mundo como o conhecemos transformou-se, obrigado a parar e a fechar-se por um vírus desconhecido que foi deixando à sua passagem um elevado número de infetados e mortos. O medo do contágio levou cidades inteiras a ficarem desertas de gente, algo impensável nestes nossos tempos modernos. O ano de 2020 viu a primavera desabrochar por dentro das vidraças das janelas e das varandas. Em família ou em solidão cada um recolhia-se, colocando em pausa a vida do atribulado (...)

Inspiração

14.05.20, Olga Cardoso Pinto
Mais uma música maravilhosa, na nossa querida língua portuguesa. Os Rádio Macau: Cantiga de Amor, digam lá se não é tão bonito? Cantiga de Amor Rádio Macau Preferias que cantasse noutro tom Que te pintasse o mundo de outra cor Que te pusesse aos pés um mundo bom E que te jurasse amor, o eterno amor Querias que roubasse ao Sete-Estrelo A luz que te iluminasse o olhar Embalar-te nas ondas com desvelo Levar-te até à lua para dançar Que a lua está longe e mesmo assim Dançar (...)

LEV - Literatura em Viagem

Entrevista a Isabel Allende

13.05.20, Olga Cardoso Pinto
Se gostam de ler Isabel Allende, convido à visualização da entrevista dada hoje ao LEV - Literatura em Viagem, na sua 14ª edição, que decorre entre 13 e 17 de maio, em streaming. Vale bem a pena assistir, com a moderação de Hélder Gomes e conhecer melhor esta grande senhora da literatura histórica e de memórias, eu adoro os seus livros e a sua escrita. Desfrute aqui a entrevista (...)

A Inspirar um Bom Dia

08.05.20, Olga Cardoso Pinto
Desejo a todos um dia lindo como este tema dos Quinta do Bill: Se Te Amo. Digam-no a todos que a vós se ligam, por laços de sangue ou de profunda amizade.   Quinta do Bill - Se Te Amo Nada em terra e céu, nos pode ensinar O que vai na alma, de alguém que recusa Deitar sobre o chão Eu não Oh, se te amo Se não tenho Oh, a vergonha De o dizer E nunca esse acaso ou lei, eu entendi O homem que em vão se agita Tão perto do mundo, tão longe de Deus Eu não Oh, se te amo Se não tenho Oh (...)

Dia Mundial da Língua Portuguesa

Todos os sentidos numa língua

05.05.20, Olga Cardoso Pinto
A língua portuguesa é a mais melodiosa das línguas. Revolve-se a língua, órgão musculado, na boca quando falamos português, acentuam-se as consoantes e expressam-se os Ss em palavras que levam sopros de brisas marítimas no bichanar. As palavras cantadas resultam nas mais belas melodias e os poemas declamados fazem brotar flores nos sentimentos. A língua portuguesa é antiga, sábia em misturas que se perderam no tempo, espalhada como semente por tantos cantos deste mundo. (...)