Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Ao pormenor

30.07.21, Olga Cardoso Pinto
Hortênsia Dentro dela há um pequeno segredo Que se quer à luz descobrir Abrem-se as pequeninas pétalas a medo Dando liberdade à vida surgir Tão bela nessa sua cor Deslumbra o caminho que por ali passa Enlevas-me nesse anseio de amor Tão cheio de alegria, virtude e graça.    

Escrita ficcionada

Recuando no tempo

26.07.21, Olga Cardoso Pinto
Escrevo um romance, passado na Idade Média, há pelo menos dois anos. Ando a mortificar-me por ainda não o ter finalizado, pois merece muita dedicação e pesquisa para que nada falhe nas vidas fictícias inspiradas noutras que foram bem reais. Já partilhei aqui no blog um excerto sobre o nascimento de uma das personagens, hoje partilho mais um pouco, espero que apreciem a leitura. (...)

Sonhos

Feliz Citação

20.07.21, Olga Cardoso Pinto
“Nunca desista de um sonho só por causa do tempo que você vai levar para realizá-lo.... O tempo vai passar de qualquer forma." Renato Maia Foto: lantana rosa de jardim  

Celebrar

19.07.21, Olga Cardoso Pinto
"Há pessoas tão especiais na nossa vida, que os momentos vividos ao seu lado são inesquecíveis."   18/07/2021 foi o Dia do Batizado da nossa querida Benedita, celebrado pela família e amigos com muita felicidade.    

Flores do campo

A beleza da simplicidade

05.07.21, Olga Cardoso Pinto
A flor de urze é pequena, linda nos seus cachinhos que se perfilam para adornarem os campos, o seu nome científico é a Calluna Vulgaris. Esta bela planta também é conhecida por torga e foi nela que o nosso grande Miguel Torga, pseudónimo de Adolfo Correia Rocha, se inspirou para lhe tomar o nome. “… eu sou quem sou. Torga é uma planta transmontana, com as raízes muito agarradas e duras, metidas entre as rochas. Assim como eu sou duro e tenho raízes em rochas duras e (...)

Fotografia VS Poesia

16.06.21, Olga Cardoso Pinto
Aurora Boreal Tenho quarenta janelas, nas paredes do meu quarto, sem vidros nem bambinelas, posso ver através delas, o mundo em que me reparto. Por uma entra a luz do sol, por outra a luz do luar, por outra a luz das estrelas, que andam no céu a rolar. Por esta entra a Via Láctea, como um vapor de algodão, por aquela a luz dos homens, pela outra a escuridão. Pela maior entra o espanto, pela menor a certeza, pela da frente a beleza, que inunda de canto a canto. Pela quadrada entra (...)

Tempestades

14.06.21, Olga Cardoso Pinto
Dizem que a violência das tempestades é a Natureza a manifestar o seu mau-humor, eu acho que são a forma de Ela demonstrar a sua força, a sua energia, para que tudo volte ao lugar. Pensamento poético é certo, sem as justificações científicas das quais pouco entendo, mas que no entanto me levam a admirar tamanha beleza tão parcamente refletida nesta fotografia - faltam outras sensações que me trouxeram à memória tempos de infância. O odor a terra molhada, o soprar forte do (...)

Um caminho

09.06.21, Olga Cardoso Pinto
Sentir Sinto-me presa, espartilhada Num longo destino que me leva ao nada   Sinto-me desmaterializar Na bruma dos dias de finais incertos Na corrida da vida ansiar Pelos sentimentos certos   Sou desequilibrada neste sentir Ansiando pelo que ainda é incerto vir   Cansada da luta Do frenético buliço Envolvo-me em mim Como num cortiço   Sem mantas nem tetos para me cobrir Apresento-me a este mundo e ao que há-de vir Pois pelo que sou não tenho pena nem dor Desenho a direito em (...)

Ontem Rio hoje Mar

05.06.21, Olga Cardoso Pinto
Mar de uma vida No enlevo desses dias Perdi-me como extasiada No mar da vida das almas bravias Sempre soltas nessa amurada Nunca o Mar foi tão forte Nesse espraiar descontraído Traz-me à memória qual a sorte De um partir sem ter saído Num vai e vem de cada onda Vejo vida formar-se e eclodir Tão certa como o mar nesta monda De um voltar sem ter de partir   Foto: Praia da Agudela - Matosinhos