Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Desafio: Se não fosse humana que outro animal gostava de ser...

13.08.20, Olga Cardoso Pinto

andorinha das chamines2.jpgMais um desafio da querida amiga Ana de Deus, e agora há nova casa para todas estas histórias: «Os desafios da Abelha».

Neste desafio «Se não fosse humana que outro animal gostava de ser» estendi-me nas palavras, mas creio que a Ana não se importará, pois é um tema que dá muito gosto escrever.

Obrigada Aninha pelo convite! E continua a motivar-nos a escrever em grupo.

 

Numa outra vida, num outro lugar, fui alguém que não sabia o que eram amarras, o que eram grades aprisionantes, o que era ser sedentário, agarrado sempre ao mesmo espaço, ao mesmo céu.
Numa outra vida, num outro lugar fui uma ave. Só poisava para dormir. O céu era o meu meio, o meu espaço. As minhas asas pequenas eram fortes, com elas cruzava os céus deste mundo que era todo meu. Viajar era a minha vida, para países longínquos naquela África, que tal como o significado da palavra deste continente, era uma empreitada recheada de façanhas e valentia da qual só sobreviviam os mais fortes. Anunciei muitas Primaveras ao voltar ao lugar onde nasci, num ímpeto instigado pela Mãe Natureza, numa ânsia de partir e voltar, sem malas, nem adereços, somente a família mais rica em novos membros. Fui feliz na minha singularidade, na minha combinação de cores – o preto de brilho azulado e o branco, com retoques de carmesim na minha pequena cabeça onde crescia o amor e o cuidar da família e da comunidade. Naqueles finais de tarde os meus silvos juntavam-se a tantos outros, nos volteados ondulantes pelos céus de verão. Era essa a liberdade de um pequeno ser, de uma bela ave de nome andorinha-das-chaminés que fui numa outra vida, num outro tempo sem preconceitos, numa vivência feliz e singela.

Agora como humana, gostaria de voltar a ser perfeita, ter tudo e não ter nada, ser simples no viver, ser liberdade, ser uma andorinha...

 

3 comentários

  • Amiga Isa,
    Fico sempre muito contente quando me vens aqui visitar, obrigada pelas tuas palavras.
    Tudo de bom para ti.
    Um excelente fim de semana para te inspirar na tua sempre bela (pseudo)poesia.
    Bjs
  • Imagem de perfil

    Isa Nascimento

    14.08.20

  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.