Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Dia da Espiga

21.05.20, Olga Cardoso Pinto

ramo espiga (2).jpg

O Dia da Espiga celebra-se a 21 de maio. É uma tradição antiquíssima de origem pagã, originária dos povos lusitanos, descendentes da cultura celta, que cultuavam os deuses, pedindo-lhes proteção neste caso para as primeiras colheitas.

Este dia marcava o início de um novo ciclo, a primavera, que era celebrado com danças, cantares e repouso, desde o nascer até ao final do dia. A tradição manteve-se na cultura portuguesa, sendo assimilada pelo cristianismo passando a celebrar-se neste dia a Festa da Ascensão, trinta e nove dias após a Páscoa.
O Ramo da Espiga, muito característico para a celebração, era colocado nas portas e deixado durante um ano e substituído no ano seguinte. Este ramo compunha-se por vários elementos com muito significado: 
- A espiga representa o pão
- O malmequer significava a riqueza e o sol que tudo faz germinar
- A papoila representa o amor e a fertilidade
- A oliveira como símbolo de longevidade e luz, assim como de sabedoria
- A videira representa a prosperidade, que dará origem ao vinho - a bebida que liga os humanos aos deuses
- O alecrim representa a elevação espiritual e a resistência
- O loureiro, embora nem sempre usado na história recente, atraía prosperidade e paz


Há imensos textos sobre o Dia da Espiga que abordam os vários simbolismos, elaborei este  texto de acordo com a minha pesquisa para um romance e o meu grande gosto sobre os povos celtas do mediterrâneo, em especial em Portugal.

 

8 comentários

Comentar post