Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Janela namoradeira

27.11.23, Olga Cardoso Pinto

IMG_9657.jpg

 

Senta-te comigo à janela...

Num belo dia ensolarado,

Ou na noite serena de céu estrelado.

 

Senta-te juntinho a mim

Como a namorar,

Deixemo-nos ficar assim

O jardim contemplar...

 

Olha...lá longe a serra, como por nós a suspirar

E aqui perto a vinha, as laranjas e o trigo ao sol a doirar

Depois as camélias, as rosas e os cravos, todos a medrar...

 

Diz-me de ti, aqui ambos sentados...

Faz-me sorrir com o teu humor,

Conta-me segredos, verdadeiros ou inventados,

Deixa-me corar das juras de amor...

 

Sentados à janela,

Agora apertadinhos nas namoradeiras!

A vida é feliz, ligeira e bela

Com os nossos tesouros sempre em brincadeiras!

 

Dizemos adeus, bom dia e como está,

Da janela vemos a aldeia e tudo o que ali há.

Enfeitamos os dias, abrimo-la ao vento.

Crescem as vidas tal como o fermento.

 

Sentemo-nos à janela.

Já ambos cansados,

Vemos através dela 

Os anos passados...

 

A vida lá fora rola sem cessar,

Mas dentro de mim roi a saudade!

Aqui fico horas, na janela a recordar

Os anos do nosso amor, para toda a eternidade.

 

 

Foto: uma das belas janelas da Pousada de Amares, antigo Mosteiro de Santa Maria de Bouro

 

14 comentários

Comentar post