Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Nada mais que um sopro

08.11.21, Olga Cardoso Pinto

IMG_2340.jpg

“Quando a tua partida for causada pelos teus atos, pela ignorância, ganância e desprezo

Quando as pedras por ti erguidas se desmoronarem e nada mais do que musgo e heras as adornarem

Quando se extinguir o ruído da tua evolução

Quando tudo ficará no silêncio da inexistência...

Eu voltarei

Nem que seja pelo suave sopro do vento, no esporo levado até ser vida

Pela água que voltará a brotar cristalina do interior da Terra

Pelo mais pequeno ser, pela erva que fresca germinará, pela árvore que se erguerá livre

Pela fruta e grãos, pelas aves cantoras de vida, por todos os seres sencientes inocentes

Serei Eu, a Senhora de Gaia, sobreviverei e tudo será impoluto, verde, fresco, luminoso

Voltará a ser azul

A girar livremente em volta da estrela Mãe

E tu, serás esquecido pelas memórias encobertas pelo pó a que voltaste, escondido pelas plantas rasteiras, retorcidas, que cobrirão as ruínas da tua existência.”

 

 

Carta de Brígida no romance de ficção “O Abraço do Freixo”, em 2018, por Olga Cardoso Pinto

 

Para ouvir Ludovico Einaudi com Mercan Dede

Boa semana!

 

12 comentários

Comentar post