Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Celebrações

24.06.22, Olga Cardoso Pinto
"O final da tarde chegava de mansinho, mas o sol ainda alto tornaria o dia no mais longo do ano. Lá longe, perto do rio, preparavam-se as fogueiras que seriam purificadoras para quem as saltasse e afoitavam-se as gentes no cozinhar da ceia para festejar o solstício de verão - não podiam faltar o peixe - esse ser do rio - o pão força para o corpo e o vinho dádiva da natureza e transformada pelos homens. Nabica carregava Brígida ao colo, a seu lado caminhava Dulce que levava na (...)

Simplicidades escondidas

06.04.22, Olga Cardoso Pinto
Uma pequena aldeia aninhada entre imponentes fragas, abeira-se discretamente sobre a cidade, mira-a do alto, plena de vistas soberbas para as serras, para os campos e para tanto céu! A subida é a custo, sob o sol quente de uma Primavera que surge tímida. Mas o caminho secreto, escondido daqueles que ali não pertencem, heis que subitamente se abre para nós. Uma rajada de vento desvia as sebes e o pequeno arvoredo que lhe esconde o acesso. Sentimo-nos os eleitos! Temos permissão para (...)

Inspiração

Flores especiais

04.04.22, Olga Cardoso Pinto
Os jarros dos campos já floriram. Ao longo dos caminhos húmidos e ensombrados, somos presenteados por estas singelas e belas flores - os jarros brancos. Pela sua cor e aparência são conotados com a paz e tranquilidade, com a pureza e iluminação espiritual. A sua graciosidade inspira artistas de todos os tempos, em especial as flores nascidas espontaneamente por tantos lugares deste mundo. Que os jarros nos inspirem e iluminem para dias de serenidade e paz duradoura.    

Fotos do meu álbum

28.03.22, Olga Cardoso Pinto
  O que escondem os caminhos sem gente nem civilização? Escondem histórias, revelam fugas...como levanta voo a imaginação! O que escondem as longas veredas ocultas entre a folhagem? Escondem mistérios, revelam sonhos, talvez, quem sabe, muitas miragens...    

O que separa também une

18.03.22, Olga Cardoso Pinto
Uma ponte Uma ponte atravessa o caminho. Liga dois lados, dois caminhos, vários trajetos. Uma ponte permite-nos transpor para o outro lado sem perder de vista de onde viemos. Uma ponte permite atravessar um rio, um fosso, um hiato de espaço e tempo. Uma ponte pode ser física, imaginária, sentimental. Uma ponte pode ser gente, um coração e uma vontade.     Tears for Fears: Rivers of Mercy    

Fotos do meu álbum

17.02.22, Olga Cardoso Pinto
Jardins do Palace Hotel do Bussaco, Coimbra. Um lugar lindo para se passear, fotografar e conhecer sem pressa, apreciando os jardins, ficar alojado no hotel que já foi palácio, localizado na bucólica mata assim como o Convento da Santa Cruz, a serra e os seus encantos vegetais e paisagísticos. O nosso país tem muito para desfrutar, rico em belezas naturais e em preciosidades arquitetónicas e históricas. Podem conhecer mais no site da Fundação Mata do Bussaco (...)

Recomeço

Feliz Citação

03.02.22, Olga Cardoso Pinto
  "Tudo tem seu apogeu e seu declínio... É natural que seja assim, todavia, quando tudo parece convergir para o que supomos o nada, eis que a vida ressurge, triunfante e bela! Novas folhas, novas flores, na infinita benção do recomeço!" Chico Xavier      

O fluir das estações

31.01.22, Olga Cardoso Pinto
Na alternância das estações vejo o fluir da vida. Sendo que não são iguais, cada uma tem um sentido diferente, com características únicas. Não há estações mais belas que outras, cada uma tem uma beleza particular, uma personalidade própria. O Verão é cheio de energia, cor, entusiasmo, despontam vontades de evasão e liberdade. O Outono é introspeção, de suspensão e pausa, de cores quentes e vontade de refúgio. O Inverno é aconchego, de contemplação, de pausa já a (...)

No Inverno...

19.01.22, Olga Cardoso Pinto
Pisco-de-peito-ruivo: o trovador viajante do Inverno. Adorável ave! Singela no tamanho, mas de imensa beleza no porte e no canto. Anuncia dias frios pelos jardins, campos e cidade, trauteando a melodia que alegra quem o escuta. É o mensageiro de boas-novas. Tenta encontrá-lo, ele anda perto de ti.