Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Inspiração

14.05.20, Olga Cardoso Pinto
Mais uma música maravilhosa, na nossa querida língua portuguesa. Os Rádio Macau: Cantiga de Amor, digam lá se não é tão bonito? Cantiga de Amor Rádio Macau Preferias que cantasse noutro tom Que te pintasse o mundo de outra cor Que te pusesse aos pés um mundo bom E que te jurasse amor, o eterno amor Querias que roubasse ao Sete-Estrelo A luz que te iluminasse o olhar Embalar-te nas ondas com desvelo Levar-te até à lua para dançar Que a lua está longe e mesmo assim Dançar (...)

LEV - Literatura em Viagem

Entrevista a Isabel Allende

13.05.20, Olga Cardoso Pinto
Se gostam de ler Isabel Allende, convido à visualização da entrevista dada hoje ao LEV - Literatura em Viagem, na sua 14ª edição, que decorre entre 13 e 17 de maio, em streaming. Vale bem a pena assistir, com a moderação de Hélder Gomes e conhecer melhor esta grande senhora da literatura histórica e de memórias, eu adoro os seus livros e a sua escrita. Desfrute aqui a entrevista (...)

A Inspirar um Bom Dia

08.05.20, Olga Cardoso Pinto
Desejo a todos um dia lindo como este tema dos Quinta do Bill: Se Te Amo. Digam-no a todos que a vós se ligam, por laços de sangue ou de profunda amizade.   Quinta do Bill - Se Te Amo Nada em terra e céu, nos pode ensinar O que vai na alma, de alguém que recusa Deitar sobre o chão Eu não Oh, se te amo Se não tenho Oh, a vergonha De o dizer E nunca esse acaso ou lei, eu entendi O homem que em vão se agita Tão perto do mundo, tão longe de Deus Eu não Oh, se te amo Se não tenho Oh (...)

Dia Mundial da Língua Portuguesa

Todos os sentidos numa língua

05.05.20, Olga Cardoso Pinto
A língua portuguesa é a mais melodiosa das línguas. Revolve-se a língua, órgão musculado, na boca quando falamos português, acentuam-se as consoantes e expressam-se os Ss em palavras que levam sopros de brisas marítimas no bichanar. As palavras cantadas resultam nas mais belas melodias e os poemas declamados fazem brotar flores nos sentimentos. A língua portuguesa é antiga, sábia em misturas que se perderam no tempo, espalhada como semente por tantos cantos deste mundo. (...)

Bologna Children’s Book Fair 2020

04.05.20, Olga Cardoso Pinto
A Feira de Bolonha do Livro Infantil (Bologna Children’s Book Fair) este ano decorre virtualmente devido às condicionantes que a pandemia da covid-19 impõe. No entanto nada do seu espírito e objetivos saem beliscados, penso eu, até ficou mais rica possibilitando a participação de imensos ilustradores a nível mundial na Illustrators Virtual Wall. A minha participação (com o pseudónimo de Chela (...)

Ilustrando sentimentos

Evasões virtuais

30.04.20, Olga Cardoso Pinto
Como as nossas atividades, neste tempo de confinamento, se tornaram essencialmente virtuais, vou dar uma caminhada por este bosque virtualmente criado para um conto da minha autoria. Já volto... querem vir?  «Já sinto o odor da floresta, o perfume da Natureza. O trinar das aves ondula pelos meus ouvidos. A brisa fresca revolve as tenras folhas dos carvalhos e prende-se à madeixa dos meus cabelos, zombando da minha admiração pelo cenário que me cativa. O cantarolar da água (...)

Quando tudo isto acabar...

29.04.20, Olga Cardoso Pinto
Quando tudo isto acabar Vou beber um café Passear ao luar Fazer uma soirée Fazer poemas sem jeito Fazer o pino e até cantar Vou abrir o meu peito Escrever um livro a sonhar Desfiar uma história Letras bonitas oferecer Vou pintar uma memória Ilustrar um prazer Abrir a janela e sorrir Fazer o futuro brotar Dar-te a mão e sair Quando tudo isto acabar.  

Pomba da Liberdade

25.04.20, Olga Cardoso Pinto
Passaste pela alta janela, nesse voo rasante Quis ir contigo no teu destino e mais adiante Deixei voar contigo o meu esperançoso pensamento Ansiando por novos dias luminosos e por novo alento Ir livremente e sem amarras contigo viajar Ver-te em cada nascer do sol, na alvorada a despontar Esperança, fé e alegria serão sempre o meu sentir Por ti Liberdade, em abril e sempre no tempo a sobrevir.   A convite da amiga MJP do blog Liberdade aos 42 (...)