Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Nascer todas as manhãs

15.07.20, Olga Cardoso Pinto
Nascer Todas as Manhãs «Apesar da idade, não me acostumar à vida. Vivê-la até ao derradeiro suspiro de credo na boca. Sempre pela primeira vez, com a mesma apetência, o mesmo espanto, a mesma aflição. Não consentir que ela se banalize nos sentidos e no entendimento. Esquecer em cada poente o do dia anterior. Saborear os frutos do quotidiano sem ter o gosto deles na memória. Nascer todas as manhãs.» Miguel Torga, in "Diário" -1982 Foto: Sistelo - Arcos de Valdevez  

A fonte que não o é

02.07.20, Olga Cardoso Pinto
A Fonte de Águas Santas que deu o nome à freguesia, na cidade da Maia. Esta fonte milenar encontra-se esquecida nas traseiras do casario que brotou, ao longo dos tempos, em frente à Igreja de Nossa Senhora do Ó. A sua origem perdeu-se na névoa dos séculos, permanecendo, no entanto, a igreja de influências românicas e a lenda que a tornou conhecida. Porém, a atual fonte já nada tem da anterior nascente que foi uma referência na localidade, tanto para os habitantes como para os (...)

Dia do Autor Português

22.05.20, Olga Cardoso Pinto
au·tor |ô| (latim auctor, -oris) substantivo masculino 1. Aquele que cria ou produz (apenas por faculdade própria). 2. A pessoa que escreve uma obra. 3. O artista que faz um trabalho. 4. Aquele que inventa ou é causa primeira de uma coisa. "autor", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org Para todos os autores que sejam dias, semanas e anos de muita inspiração, (...)

Dia da Espiga

21.05.20, Olga Cardoso Pinto
O Dia da Espiga celebra-se a 21 de maio. É uma tradição antiquíssima de origem pagã, originária dos povos lusitanos, descendentes da cultura celta, que cultuavam os deuses, pedindo-lhes proteção neste caso para as primeiras colheitas. Este dia marcava o início de um novo ciclo, a primavera, que era celebrado com danças, cantares e repouso, desde o nascer até ao final do dia. A tradição manteve-se na cultura portuguesa, sendo assimilada pelo cristianismo passando a celebrar-se (...)

Inspiração

14.05.20, Olga Cardoso Pinto
Mais uma música maravilhosa, na nossa querida língua portuguesa. Os Rádio Macau: Cantiga de Amor, digam lá se não é tão bonito? Cantiga de Amor Rádio Macau Preferias que cantasse noutro tom Que te pintasse o mundo de outra cor Que te pusesse aos pés um mundo bom E que te jurasse amor, o eterno amor Querias que roubasse ao Sete-Estrelo A luz que te iluminasse o olhar Embalar-te nas ondas com desvelo Levar-te até à lua para dançar Que a lua está longe e mesmo assim Dançar (...)

LEV - Literatura em Viagem

Entrevista a Isabel Allende

13.05.20, Olga Cardoso Pinto
Se gostam de ler Isabel Allende, convido à visualização da entrevista dada hoje ao LEV - Literatura em Viagem, na sua 14ª edição, que decorre entre 13 e 17 de maio, em streaming. Vale bem a pena assistir, com a moderação de Hélder Gomes e conhecer melhor esta grande senhora da literatura histórica e de memórias, eu adoro os seus livros e a sua escrita. Desfrute aqui a entrevista (...)

Dia Mundial da Língua Portuguesa

Todos os sentidos numa língua

05.05.20, Olga Cardoso Pinto
A língua portuguesa é a mais melodiosa das línguas. Revolve-se a língua, órgão musculado, na boca quando falamos português, acentuam-se as consoantes e expressam-se os Ss em palavras que levam sopros de brisas marítimas no bichanar. As palavras cantadas resultam nas mais belas melodias e os poemas declamados fazem brotar flores nos sentimentos. A língua portuguesa é antiga, sábia em misturas que se perderam no tempo, espalhada como semente por tantos cantos deste mundo. (...)

Boas leituras

27.04.20, Olga Cardoso Pinto
A sugestão de leitura para hoje é O Castelo, do autor Luís Zueco, sob a chancela da editora Alma dos Livros. É uma interessante história ficcionada, inspirada na vida real - a construção do Castelo-Abadia de Loarre, uma fortaleza de traça românica que se situa entre a planície e os Pirinéus aragoneses, Espanha. Este romance histórico prendeu-me da primeira à última página, passado na Idade Média, uma época de grandes conturbações, de grandes feitos e fonte de muitas (...)