Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Bordados de Amor

15.04.21, Olga Cardoso Pinto
  Tecedeira   Sinto a chuva no rosto Numa felicidade sem fim Rasgo penas de desgosto Voando procurando por mim   Lavo a alma atormentada Sem condição para a condenar Sinto-me na leveza enlevada Nesta vontade de criar   Bordo em fios bem delgados Teço destinos irreais Encontro mistérios guardados Envolvendo-me em bordados magistrais   Sei quem fui, o que sou Sem tormentas nem dor Sou aquela quem bordou Todos os versos de amor   Imagem: Lenço dos Namorados - Vila Verde  

O Livro e a Criança

02.04.21, Olga Cardoso Pinto
Hoje celebra-se o Dia Internacional do Livro Infantil, lembra-nos como é importante a leitura na infância. Ler para a criança que ainda não o sabe fazer abre-lhe horizontes imensos, ajuda à concentração e à imaginação, condições cruciais para se desenvolverem harmoniosamente. Depois da aprendizagem da leitura, a criança vai querer escolher os seus livros, aprendendo a apreciar os vários géneros. Quem gosta de ler na vida adulta foi uma criança motivada para literatura.  E (...)

Poesia para a infância

29.03.21, Olga Cardoso Pinto
CORTAR Cortaram uma árvore E a terra chorou   Cortaram outra árvore E a terra chorou   E tantas árvores mais…   E a terra chorou Chorar tanto também cansa Quem pode enxugar as lágrimas Da terra cansada?   Nem as mãos de uma criança…   Matilde Rosa Araújo in As Fadas Verdes    

Dia Mundial da Poesia

21.03.21, Olga Cardoso Pinto
  A Poesia é a mãe de todas as manifestações artísticas. Gerou e alimentou toda a arte na qual deixamos voar os nossos sentimentos. É a expressão mais bela que um Ser Humano pode manifestar.   "Poesia a língua materna da Humanidade" José Fanha    

A Árvore de Camilo

23.02.21, Olga Cardoso Pinto
A breve caminhada levou-me até ao louro-cerejo - a árvore de Camilo - a árvore centenária que vive num solene remanso rural junto à antiga residência paroquial, onde Camilo Castelo Branco passava os longos dias de verão pelas terras da Maia. Junto a ela um banco que convida a desfrutar da companhia e da vista e quiçá, também, de uma boa leitura: uma magnífica obra de Camilo. "Na freguesia de Barca, junto da casa que foi antiga residência paroquial, está uma árvore que, de (...)

Adeus

01.01.21, Olga Cardoso Pinto
Ficamos com a saudade da sua voz, da presença e do talento. Ficamos com os registos e as memórias. Obrigada Carlos do Carmo.