Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Eu amanheço

19.01.21, Olga Cardoso Pinto
Eu amanheço Para mais uma vida Quantas vividas sem ti Eu amanheço Para estar contigo Fiando as horas que te espero Eu amanheço Para contigo entrançar a estória Do nosso tempo neste lugar Eu amanheço Sou o começo da teia que te prende a este sonhar   Foto: 19.01.2021 - 07:48  

Feliz 2021

31.12.20, Olga Cardoso Pinto
  Votos de muita felicidade, saúde e perseverança para o novo ano que se avizinha. Aventurança é o título desta ilustração, congrega nela tudo o que podemos ser e oferecer ao outro. Feliz 2021 Beijinhos  Olga    

Desafio: O que a Paz significa para...

22.12.20, Olga Cardoso Pinto
Um novo desafio da querida amiga Ana de Deus - escrever sobre a Paz, o que ela significa para mim. O meu contributo foi em jeito de microconto, deu-me muito prazer escrever, trazendo à memória momentos em que os meus filhos questionavam o meu pai sobre tantos assuntos. Adorava ouvi-los, avô e netos, num diálogo de descoberta e de sentimentos. Quantas saudades!  Muito obrigada Ana, por publicares o conto (...)

Tempo de Natal

15.12.20, Olga Cardoso Pinto
Ainda há tempo de Natal? Este será um Natal sui generis para o nosso tempo, pois haverá famílias que não celebrarão a consoada e o dia de Natal à mesma mesa, no mesmo local. Será um Natal peculiar certamente. Mas quantos Natais diferentes tivemos nas nossas vidas? Eu tive alguns. Atormentados, sem alento, sem alegrias…sem espírito de Natal. Logo, este Natal para mim, para a minha família será um Natal de celebração da vida, da união da família, não poderemos estar todos (...)

A penca para a sopa

30.11.20, Olga Cardoso Pinto
Na hora de fazer o jantar podem acontecer coisas interessantes! Verdade...não acreditam? Fazem mal. Há toda uma realidade alternativa digna de ser retratada. Não preciso de ir em viagem, nem caminhadas inspiradoras, basta pegar nos legumes para a sopa, em especial na penca. Não era uma penca qualquer, era a penca do lavrador, sem aditivos e sem químicos, cuidada e mimada como todo o legume deve ser. Assim mimada cresceu tenra e verdinha, abrigando nas suas folhas e no seu robusto (...)

A Árvore Mãe

17.11.20, Olga Cardoso Pinto
Uma árvore frondosa, de tronco largo sulcado pelo tempo, ergue-se vaidosa na sua idade no meio de um bosque. Cresceu forte e imponente rumo à luz e adentrando-se no solo, apesar de ter sido açoitada ao longo da sua vida por tempestades, pela seca e devastações. É um ser resistente e temerário. Das suas raízes germinaram rebentos que se fizeram árvores tenras, formando este bosque que se desenrola à sua volta. Estas árvores filhas, que à volta da sua mãe se erguem também elas (...)

Fotos do meu álbum

Caminhadas pela Natureza

12.11.20, Olga Cardoso Pinto
Foi um passeio retemperador pela manhã, a chuva não me ausentou de ti. Fui visitar-te e acolheste-me com o perfume do outono fresco que inunda as tuas vestes. Respirei fundo e deixei que este odor perfumasse a minha alma. Estavas ali, à minha espera, incólume, somente transformada pela estação, linda e convidativa. Assim, neste enlevo esqueci a vida, esqueci este quotidiano que me assombra, que me faz vacilar nas minhas escolhas e nos meus sonhos. Como tive saudades tuas! Saudades (...)