Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Desafio Uma Quadra por Dia

20.10.20, Olga Cardoso Pinto
A abelha mais querida desta blogosfera anda sempre muito ativa a desafiar aqui os colegas, agora são quadras! Ai Ana, essa cabeça anda sempre a pensar, onde vais tu desencantar estas ideias? Mas olha que eu adorei e aceitei o desafio, cá estou a participar. Tal como tu disseste: uma musa sussurrou-me ao ouvido... e eu aproveitei. Aqui está a minha quadra para o desafio Uma quadra por dia da Ana de Deus (...)

Escrita e ilustração

19.10.20, Olga Cardoso Pinto
Sinopse do romance Mãe d'Água, da minha autoria, escrito ao longo de sete anos. Um romance baseado em pesquisas e na realidade infelizmente cada vez mais evidente, e com uma boa dose de ficção. O Mundo como o conhecemos, acabou! Num tempo em que Água Potável está a desaparecer e as graves alterações climáticas trazem à Humanidade o perigo da sua própria extinção, há uma nova ordem com um Governo Mundial - as populações são monitorizadas, o paradigma da civilização é (...)

Dia Mundial do Sonho

25.09.20, Olga Cardoso Pinto
Entre o sono e o sonho, Entre mim e o que em mim É o quem eu me suponho, Corre um rio sem fim. Passou por outras margens, Diversas mais além, Naquelas várias viagens Que todo o rio tem. Chegou onde hoje habito A casa que hoje sou. Passa, se eu me medito; Se desperto, passou. E quem me sinto e morre No que me liga a mim Dorme onde o rio corre — Esse rio sem fim.   Fernando Pessoa, obra édita -1933  

Ilustração de histórias reais

09.09.20, Olga Cardoso Pinto
A Felicidade não me cabe no coração. Ela transborda do meu ser, enleando-se em todos aqueles que contigo partilham o Amor. Vai em volteados como um cordão umbilical enroscar-se em ti, nesse teu pequenino corpo, nessa alma pura e nesse coraçãozinho tão jovem. Aguardo para que possa balançar contigo neste baloiço da vida...   Com Amor para a Benedita    

Conto: A Primavera num Arco-Íris

2ª parte

25.08.20, Olga Cardoso Pinto
Para hoje cá vai a 2º parte do conto, continuando a história que foi iniciada semana passada. Aqui está a 1ª parte para quem não leu Boa leitura Bjs   ***        À medida que os humanos se afastavam, aproximavam-se os animais, das cidades e das localidades desertas de gente, talvez curiosos pela ausência humana, em vontades para explorar todo aquele mundo (...)

Escrita e ilustração

Conto «A Primavera num Arco-Íris»

12.08.20, Olga Cardoso Pinto
Sinopse *** O mundo como o conhecemos transformou-se, obrigado a parar e a fechar-se por um vírus desconhecido que foi deixando à sua passagem um elevado número de infetados e mortos. O medo do contágio levou cidades inteiras a ficarem desertas de gente, algo impensável nestes nossos tempos modernos. O ano de 2020 viu a primavera desabrochar por dentro das vidraças das janelas e das varandas. Em família ou em solidão cada um recolhia-se, colocando em pausa a vida do atribulado (...)