Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Misty Fest

Lisa Gerrard e Jules Maxwell - “Noyalain (Burn)”

24.11.22, Olga Cardoso Pinto
A belíssima Sala Suggia da Casa da Música, no Porto, encheu-se para receber os sons, cor e imagem deste concerto inspirador, arrebatadoramente intenso para mim. As palavras ainda não existem para expressar o que senti. Na insuficiência delas, busco na minha mente e surgem estas: emotivo, sensorial, avassalador, MAGNÍFICO! Jules Maxwell e Lisa Gerard estão em Portugal a (...)

Apresentação de O Ministério das Criaturas Fantásticas

Biblioteca Municipal da Maia 12.11.22

14.11.22, Olga Cardoso Pinto
  A sala do Café Concerto, da Biblioteca Municipal da Maia, foi pequena para receber tantos convidados que não quiserem perder a apresentação de O Ministério das Criaturas Fantásticas, na maravilhosa tarde ensolarada deste sábado, dia 12 de novembro. Não consigo descrever a felicidade que senti ao ver tantos amigos, familiares, conhecidos (e até (...)

Convite

08.11.22, Olga Cardoso Pinto
Ficarei muito feliz e grata pela vossa presença, na apresentação do meu livro infantil O Ministério das Criaturas Fantásticas. Sábado dia 12, pelas 16:00h, na Biblioteca Municipal da Maia.  

O Ministério das Criaturas Fantásticas

Apresentação

03.11.22, Olga Cardoso Pinto
  O Ministério das Criaturas Fantásticas O mundo da fantasia está em risco de extinção. As crianças já não leem livros e os avós e os pais não lhes contam histórias que desafiem a sua imaginação. Os monstros e as criaturas que habitam neste mundo especial estão a desaparecer e é esta enorme preocupação pela sua sobrevivência que os leva a reunir no Ministério das Criaturas Fantásticas para encontrarem rápidas soluções, sob a chefia da Rainha das Fadas. Após (...)

Benedita, cheia de graça

27.09.22, Olga Cardoso Pinto
  No rebate das estações que marcam o nosso tempo de vida Vejo-te assim tão doce, tão feliz e crescida Pudesse eu parar o tempo, fazendo-o assim flutuar Ter-te em meus braços para sempre e o relógio abrandar Como não tenho dom para o fazer Pois sou uma mera brisa que passa Ficam as palavras bordadas neste tom de escrever Com todo o meu amor para ti, Benedita cheia de graça.    

Um dia quando só formos vento...

17.09.22, Olga Cardoso Pinto
Um dia quando só formos vento, viajarmos à velocidade da luz e em partículas cintilarmos, voltaremos a encontrar-nos num lugar sem espaço e sem tempo, sem corpo nem dor; somente nós na essência dos sentimentos e do espírito imortal. Seremos o perfume e a cor das flores, o sol da manhã e a luz lunada de uma noite, seremos as vagas que se desfazem na praia, a neve que em cristais cai no mundo, a chuva límpida em graça do céu à terra. Seremos tudo e nada. Seremos sempre nós, o (...)

Dois anos de Ti

08.09.22, Olga Cardoso Pinto
A Benedita celebra hoje dois anos. E neste dia tão especial ofereci-lhe O Ministério das Criaturas Fantásticas. Andei estas semanas literalmente "em pulgas" para ver a reação, no seu rosto e olhitos, quando deparasse com o livro que a ela é dedicado. Ficou a observar a capa, não resistindo ao marcador e a folhear com ligeireza as páginas que mais tarde merecerão a sua leitura cuidada e observação atenta das ilustrações. Haverá certamente muitas mais estórias para lhe ler e (...)

Somos todos lendas

03.09.22, Olga Cardoso Pinto
Conta uma lenda perdida nos milénios do tempo que havia uma mulher que se endeusou pela virtude de existir entre o mundo terreno e o mundo celestial, pois desejou muito gerar um filho só pelo amor de se dedicar ao seu cuidar. Essa mulher  tornou-se a ligação entre estes dois mundos  e continuou a existir, mesmo após a sua morte, pois transformou-se em árvore perpertuando-se assim a unir o que é terreno - pelas raízes - ao que é do céu - a copa - o entremeio  é dos humanos e (...)

Um imenso coração

01.09.22, Olga Cardoso Pinto
  "Os dias urdiam as horas onde as memórias ancoravam, desejando ganhar viço e raízes no pequeno coração infantil. A menina pequenina, feita de saudades e odor, vivia com o pensamento numa história que a avó lhe contava quando iam lavar a roupa ao rio. — Era uma vez um rio, forte, corredor, frio como o gelo, que bordejava uma aldeia pequena, encarrapitada num monte feito de granito antigo e de fraguedo imponente. Nesta aldeia viviam poucas famílias, com muitos filhos pequenos e (...)

Leituras mágicas

O Ministério das Criaturas Fantásticas

29.08.22, Olga Cardoso Pinto
Foi uma sessão de autógrafos fantástica! Agradeço de coração a todos que não quiseram deixar de estar presentes com todo o seu amor, carinho e amizade. Beijinhos grandes. Grata em especial ao meu amor e querido companheiro Jorge, aos meus amores e filhotes Miguel e Nuno – o meu staff, o meu porto seguro, a minha vida. À Lurdes, Catarina e João, Leonarda, Claúdia e Maria, a família querida que me presenteou com a surpresa da sua presença. Aos meus amigos de coração José da Xã (...)