Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Fotos do meu álbum

20.05.24, Olga Cardoso Pinto
  Encontrei estas beldades no caminho. A beleza e a simplicidade a saudar-nos numa bela tarde de primavera. Prova que a natureza acolhe-nos e traz a felicidade e a gratidão por podermos desfrutá-la em todas as estações, mas na primavera é todo um hino à alegria em ramalhetes de flores e trinados melodiosos que nos enchem o coração. Quem precisa de arranjos florais, bem acomodados em celofane e longos laços quando, ali mesmo em pleno campo, a natureza nos oferece a visão da (...)

Ser Sol

26.04.24, Olga Cardoso Pinto
Um sol Pode ser tudo Pode ser algo que ilumine Irradiando energia na nossa vida Pode ser o sol no céu azul O sol da meia-noite A lua iluminando as trevas Pode ser alguém no teu caminho Uma flor do teu jardim... Podes ser tu, posso ser eu...    

19 anos felinos

09.04.24, Olga Cardoso Pinto
  🎂   A minha gatinha, a Cookie, completa hoje 19 anos! Um feito para um gato, desculpem, uma gata. É a nossa companheira desde os 5 meses, partilhando a sua vida com os "manos" que cresceram com ela. E, para festejar, hoje terá mimos a dobrar e este poema/estória que lhe é dedicado.    Cookie Rinhonha A Gata Cookie Rinhonha É uma doçura parecendo gente Sempre esbelta e nada panhonha Sem nunca ter usado pente À janela gosta de estar No seu ripanço felino Também gosta de (...)

Vens passear comigo?

03.04.24, Olga Cardoso Pinto
    Venham comigo nesta viagem. Trago-vos um pouco do Minho, dos caminhos e viagens por este "mundo" encantado das serras, do verde e do céu sem fim. Liguem ao mesmo tempo o vídeo e a música, nesta bela faixa de Nina June - When We Fall e deixem-se "cair de amores" por estes lugares.       

Um caminho para muitos destinos

01.04.24, Olga Cardoso Pinto
  Neste caminho há muitos destinos à espera... Muito azul sem ser de mar, Muita água sem ser de navegar. Há uma imensidão de campo, De sonhos que quero tanto, De tempo dado sem contrapartida, Reaver aquela joia dada como perdida, De altas serras, de prados sem fim... E ter-te sempre junto de mim, De uma nova vida, de liberdade a inspirar, Olhar contigo o caminho a nos enlaçar.       Fotos: recantos do meu querido Minho   Para ouvir, enquanto lê: Nina June - Moon over the Sun (...)

Passaritos

28.03.24, Olga Cardoso Pinto
    A minha mania de pintar passarinhos. Eis o pisco-de-peito-ruivo! Adoro-os por serem lindos, bons cantores, expressivos e fotogénicos...e porque em tempos arranjei um amiguinho, no parque da cidade, que me permitiu observar de perto os seus afazeres. Foto: Robin, o pisco - aguarela sobre papel.    

Dia do Pai

19.03.24, Olga Cardoso Pinto
Ao leme das suas jovens vidas, vai ele seguro, timoneiro e farol, nas ondas bravias do vasto caminho. Quando aporta no conforto dos abraços, descola da pele o sal da labuta e podemos ver-lhe a doçura do sorriso, do embalo ternurento, do beijo quente. Assim és Pai de homens feitos, para quem os teus olhos poisam descansando teu coração, esperançoso por vê-los irem tal como timoneiros e faróis.     Um b (...)

Passarinhos

08.03.24, Olga Cardoso Pinto
Sabem como gosto de pintar passarinhos e não é que este se deixou fotografar? Posou para me inspirar a uma próxima composição, depois lá foi ele, sem se afastar muito, e fomos cada um para seu lado. Eu, feliz, pela sua gentileza em me deixar captar em fotografia a delicadeza e beleza de tão singular criatura. Não sei o nome, mas é lindo!   Votos de bom fim de semana, parece que será com muita chuva.    

Viagem emocional

Mosteiro de Santa Maria das Júnias

01.03.24, Olga Cardoso Pinto
  O Mosteiro, as suas ruínas e ainda a persistente igreja existente de Santa Maria das Júnias, nos arredores de Pitões das Júnias, em Montalegre, Vila Real, com acesso pelo Parque Nacional Peneda-Gerês, é um lugar místico. Situado num vale estreito, longe de populações e da modernidade, desafia as eras e o passar do tempo. Após uma caminhada não muito esforçada, mas que não é para todas as pernas, chegamos ao caminho empedrado que lhe dá acesso. Logo aí, preparamo-nos (...)

Novos Horizontes

20.02.24, Olga Cardoso Pinto
    A meus pés encontram-se novos caminhos, muitas distâncias, ainda, para calcorrear a teu lado. Muitos horizontes se podem abrir se aceitarmos esta preciosa dádiva, esta paz de espírito, esta inspiração. Ao teu lado necessito de ver a calmaria dos dias, a colheita em nossas mãos de horas a construir um retiro, onde aceitaremos a bondade do cosmos, do tempo e da vida. Novos horizontes se revelam, desde a esperança e o sonho para a liberdade, basta abrirmos as asas ao vento e (...)