Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Homenagem a meu Pai

18.01.23, Olga Cardoso Pinto
    Coroada de casuarinas, Batida p'la brisa amena, Beijando a praia serena, De ondas de espuma fina Eis Luanda, a jovem morena.   Entre embondeiros dispersos Onde verdejam palmeiras, E se abraçam as piteiras, Eu te canto estes versos P'la voz das quitandeiras.   José Andrade Cardoso (1928 - 2015) Foto: Marginal de Luanda, nos anos 60   Em memória do meu querido Pai, angolano, nascido na cidade de Luanda. Partiu em 2015 levando as saudades da sua terra à qual nunca mais voltou. (...)

Entardecer

17.01.23, Olga Cardoso Pinto
O que seriam dos nossos dias sem esta dança do tempo. Das manhãs frescas, de correrias ou languidez, para tardes ensolaradas ou ventosas, de horas mortas ou despertas, findadas em pores-do-sol doirados, baços ou nebulosos... O pôr-do-sol do entardecer é deslumbrante, cativa-nos seja ele no mar ou, como este, num lugar onde a Natureza reina nos seus tons de inverno, onde a sua luz faz cintilar as pérolas da chuva e do orvalho que refrescam o caminho. Está tudo ali - a luz, os (...)

Amanhecer

09.01.23, Olga Cardoso Pinto
A maravilha do amanhecer! O magnífico anúncio de um novo dia que cada nascer do sol traz. Só as palavras "nascer do sol" já são um epíteto para iniciar o novo ciclo de horas.  Poder apreciar esta magnificência do amanhecer de inverno, em que patina da neblina fica alcandorada sobre a Natureza, como inspirando a suspensão do tempo e das horas que nos aguardam, é uma bênção!  Quanta beleza nesta singular experiência que a Natureza nos oferece, fico-lhe grata pela (...)

Rumos

02.01.23, Olga Cardoso Pinto
Pudesse ser eu o sol no teu caminho A onda que em ti se vai espraiar Ser a tua bússola do Algarve ao Minho A costa marítima que te faz velejar...     Jesse Cook - To Your Shore  

Ano Novo

30.12.22, Olga Cardoso Pinto
Não esperemos que o novo ano traga mudanças, elas começam em nós.  Se desejamos Paz no mundo, que haja paz dentro de nós, na família, e com aqueles que nos rodeiam. Se desejamos Empatia e Compreensão na nossa sociedade, que elas existam primeiro nas nossas atitudes. Se queremos Prosperidade, empenhemo-nos para tal acontecer. Tenhamos vontade para melhorar o imperfeito e mudar o incorreto. Cada um pode ser o diferencial. Nunca pensemos que só um não tem importância, um e mais (...)

Feliz Natal🎄

20.12.22, Olga Cardoso Pinto
Um passarinho poisou no ramo de azevinho, trinou uma bela melodia anunciando que algo único emergiria, algo brotaria no mais recôndito de cada coração, algo mais poderoso que um querer ou oração. Cantarolou até ao final do dia para que o mundo o ouvisse e assim se ligasse por um fio invisível cada emoção humana, animal e vegetal, de solidariedade, respeito, amor e paz. Para que se fizesse Natal… Votos de Feliz Natal, Boas Festas,        Olga  

Contos de Natal 2022

Um ramo de azevinho

13.12.22, Olga Cardoso Pinto
  Vou contar-vos uma estória sem tempo nem lugar. Perdeu-se no novelo dos séculos o pormenor que fazia dela uma estória pessoal. O tempo pode tudo e não pode nada. Pode curar e transformar, mas esquece e basta o sopro de novas vidas para que se perca o rasto poeirento das lembranças. Mas a natureza lembra, mesmo a mais ínfima lembrança deixa-a a vogar no cosmos… Tudo começou numa manhã de primavera. Estamos dentro de uma casa, antiga, arrumada. O sol entra pela janela da (...)

Misty Fest

Lisa Gerrard e Jules Maxwell - “Noyalain (Burn)”

24.11.22, Olga Cardoso Pinto
A belíssima Sala Suggia da Casa da Música, no Porto, encheu-se para receber os sons, cor e imagem deste concerto inspirador, arrebatadoramente intenso para mim. As palavras ainda não existem para expressar o que senti. Na insuficiência delas, busco na minha mente e surgem estas: emotivo, sensorial, avassalador, MAGNÍFICO! Jules Maxwell e Lisa Gerard estão em Portugal a (...)

Escrever para crianças

18.11.22, Olga Cardoso Pinto
Esta fotografia, para mim, traduz o que é escrever para crianças. Como é gratificante ouvir as suas opiniões sobre a estória e as ilustrações, olhá-las nos olhos e ver o brilho do encantamento que cada palavra e personagem desencadeia nas suas emoções. Emocionei-me, confesso, pois é isto que me preenche, que me faz querer muito contar-lhes estórias de encantar, com desenhos bonitos que as inspire à leitura e ao desenho. Grata, Emanuel, pelas tuas palavras e apreciações. Fot (...)