Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Celebrando Fernando Campos

06.04.23, Olga Cardoso Pinto
Exposição "Fernando Campos: uma viagem pelos seus livros" Em abril celebra-se o 99º aniversário de Fernando Campos. Esta exposição, patente na Biblioteca Municipal da Maia, é uma viagem pela sua bibliografia, disponibilizando a todos a sua produção romanesca. HORÁRIO: segunda das 18.00h às 23.00h / terça a sexta das 09.30h às 23.00h / sábado das 09.30h às 22.30h - Entrada livre   III Colóquio 22/04 e 23/04 A Biblioteca Municipal da Maia promove o III Colóquio de (...)

Viagens

16.03.23, Olga Cardoso Pinto
  Há locais que aguardam serem visitados independentemente da devoção. Atraem-nos, cativam-nos as sensações. Ficamos absortos naquele limbo que entremeia a realidade em que nos deslocamos e um espaço temporal em que os fios das épocas se tocam, fazendo tinir cada fibra do nosso corpo mortal. A luz que emana destes locais é inexplicável, coada pela neblina produzida pelas velas e incensos, convidam-nos a transpor uma das portas, seja ela do conhecimento, da descoberta ou da fé. (...)

Homenagem a meu Pai

18.01.23, Olga Cardoso Pinto
    Coroada de casuarinas, Batida p'la brisa amena, Beijando a praia serena, De ondas de espuma fina Eis Luanda, a jovem morena.   Entre embondeiros dispersos Onde verdejam palmeiras, E se abraçam as piteiras, Eu te canto estes versos P'la voz das quitandeiras.   José Andrade Cardoso (1928 - 2015) Foto: Marginal de Luanda, nos anos 60   Em memória do meu querido Pai, angolano, nascido na cidade de Luanda. Partiu em 2015 levando as saudades da sua terra à qual nunca mais voltou. (...)

Crónicas em Aguarela

07.11.22, Olga Cardoso Pinto
Registos em aguarela, mas também em textos e fotografias de locais por onde vagueia o corpo e o espírito. Santiago de Compostela Santiago de Compostela recebe-nos de braços abertos, num afago fraternal. Acolhe-nos em boas-vindas. O peregrino entra, assim, no acolhimento do Santo que o guiou até à Praça do Obradoiro, a antecâmara da catedral onde a oração, o recolhimento e talvez um círio aceso devotamente, receberá o agradecimento da boa chegada, em paz, e de espírito purificado. (...)

Feliz Citação

16.09.22, Olga Cardoso Pinto
"Observe com olhos brilhantes o mundo inteiro ao seu redor, porque os maiores segredos estão sempre escondidos nos lugares mais improváveis. Quem não acredita em magia nunca a encontrará."   Roald Dahl Roald Dahl - escritor britânico de obras infantis e para adultos, autor de “Charlie e a Fábrica de Chocolates”, “Matilda”; “Nunca cresças”, “Senhor Raposo” entre muitos outros. A magia de escrever um livro para crianças está na felicidade de as ver ler (...)

Celebrações

24.06.22, Olga Cardoso Pinto
"O final da tarde chegava de mansinho, mas o sol ainda alto tornaria o dia no mais longo do ano. Lá longe, perto do rio, preparavam-se as fogueiras que seriam purificadoras para quem as saltasse e afoitavam-se as gentes no cozinhar da ceia para festejar o solstício de verão - não podiam faltar o peixe - esse ser do rio - o pão força para o corpo e o vinho dádiva da natureza e transformada pelos homens. Nabica carregava Brígida ao colo, a seu lado caminhava Dulce que levava na (...)

Ainda há boas notícias

31.05.22, Olga Cardoso Pinto
Ainda há notícias boas, espetaculares, que nos enchem de curiosidade e orgulho, também. Notícias, que nos fazem ter esperança por haver ainda muito para descobrir e revelar nestes tempos estranhos do século XXI. A notícia a que me refiro é esta “Manuscrito original do Padre António Vieira descoberto em Roma vai ser editado”, p (...)

Escrever em ficção a História

09.05.22, Olga Cardoso Pinto
«O velho templo de S. Salvador de Leza, no lugar de Recaredi, estava parcimoniosamente iluminado, as velas dos candelabros animavam o Cristo pregado na imensa cruz de madeira. As feições do Filho de Deus pareciam ganhar vida, o bruxulear das chamas das velas emprestavam luz e sombra ao rosto rígido talhado no lenho. Martinho tinha o olhar preso na imagem, como encantado, contemplava absorto tentando entender se Cristo lhe falaria. Talvez as horas de jejum e o completo silêncio (...)

A Nossa Língua

05.05.22, Olga Cardoso Pinto
Hoje é o Dia Internacional da Língua Portuguesa. A nossa Língua será das mais ricas do mundo, contendo tantas influências e heranças ao longo dos séculos que nos tornaram um povo tão cosmopolita. Temos tantas palavras de todas as línguas que se tornaram nesta nossa forma bela, rica e trabalhada de comunicar. Não há como a Língua Portuguesa para vociferar, insultar ou gracejar através de locuções atiradas aos tropeções pela boca, que não se deixam embrulhar em meias (...)

Histórias reais

15.03.22, Olga Cardoso Pinto
"Joaquim e Rosário tinham um filho que partira para a guerra. Numa mão levara a espingarda e na outra o cavaquinho e não voltara, ficara por lá, na Flandres como muitos da 4ª Infantaria, a valente Brigada do Minho. Certamente, morto num campo verde de esperança na vitória e manchado de sangue dos heróis, filhos de homens e mulheres que não sabem o que é a guerra, somente o que é a batalha da sobrevivência na labuta do amanhar a terra, do pastorear o gado, da expectativa da (...)