Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Abelhas e abelhinhas

28.10.21, Olga Cardoso Pinto
AS ABELHAS A abelha-mestra E as abelhinhas Estão todas prontinhas Para ir para a festa Num zune que zune Lá vão pro jardim Brincar com a cravina Valsar com o jasmim Da rosa pro cravo Do cravo pra rosa Da rosa pro favo E de volta pra rosa Venham ver como dão mel As abelhas do céu Venham ver como dão mel As abelhas do céu A abelha-rainha Está sempre cansada Engorda a pancinha E não faz mais nada Num zune que zune Lá vão pro jardim Brincar com a cravina Valsar com o jasmim Da (...)

O Mar também canta

07.09.21, Olga Cardoso Pinto
Canção do Mar Fui bailar no meu batel Além do mar cruel E o mar bramindo Diz que eu fui roubar A luz sem par Do teu olhar tão lindo Vem saber se o mar terá razão Vem cá ver bailar meu coração Se eu bailar no meu batel Não vou ao mar cruel E nem lhe digo aonde eu fui cantar Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo Vem saber se o mar terá razão Vem cá ver bailar meu coração Se eu bailar no meu batel Não vou ao mar cruel E nem lhe digo aonde eu fui cantar Sorrir, bailar, viver, (...)

Dia Mundial da Terra

22.04.21, Olga Cardoso Pinto
Ao longo de tantos anos já muito foi dito, discutido, escrutinado, investigado sobre a crítica situação do nosso planeta. Quais os reais e efetivos avanços para enfrentar a destruição do clima, dos ecossistemas, das espécies e da própria sobrevivência da Humanidade na Terra? Cada um de nós tem uma parte a fazer, como um todo, numa só vontade.  "A Terra é minha casa e a humanidade a minha família.” Kahlil Gibran Imagem: Nábia dando água ao Mundo. Óleo sobre tela. Suges (...)

Despojos de uma vida

26.03.21, Olga Cardoso Pinto
Ali ficou como um esqueleto, sem vida, sem cor, sem amor Esquecida da luz que a aquecia por dias, por tempos, por momentos A frieza do silêncio e da pedra, abandonada, enfraquecida, esboroada Envolta em mistério da identidade de quem fora, em desbotada existência Abraçada somente pela verdura, pelo caminho que a instiga a resistir A lutar contra os elementos, destemida senhora de pedra, poder em latência Que saúdas o tempo, temerária guerreira, insistindo em subsistir   Música (...)

Adeus

01.01.21, Olga Cardoso Pinto
Ficamos com a saudade da sua voz, da presença e do talento. Ficamos com os registos e as memórias. Obrigada Carlos do Carmo.    

Inspiração

Skye - Clock to Stop

28.07.20, Olga Cardoso Pinto
E o relógio gira, roda, vira o tempo que não é nosso...   Skye - Clock To Stop  Album: Keeping Secrets It's all good it's alright Cut the strings to the kite Send it flying Who's to say What this means There's some truth In between Where we're lying Here's to happiness Caving in on us And the clock on the wall Says it's quarter past going too well As you go round again Half way to heaven You do a one-eighty for hell What goes up comes down again Falling stumbling crawling out of love Te (...)

Dia do Autor Português

22.05.20, Olga Cardoso Pinto
au·tor |ô| (latim auctor, -oris) substantivo masculino 1. Aquele que cria ou produz (apenas por faculdade própria). 2. A pessoa que escreve uma obra. 3. O artista que faz um trabalho. 4. Aquele que inventa ou é causa primeira de uma coisa. "autor", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org Para todos os autores que sejam dias, semanas e anos de muita inspiração, (...)

Inspiração

14.05.20, Olga Cardoso Pinto
Mais uma música maravilhosa, na nossa querida língua portuguesa. Os Rádio Macau: Cantiga de Amor, digam lá se não é tão bonito? Cantiga de Amor Rádio Macau Preferias que cantasse noutro tom Que te pintasse o mundo de outra cor Que te pusesse aos pés um mundo bom E que te jurasse amor, o eterno amor Querias que roubasse ao Sete-Estrelo A luz que te iluminasse o olhar Embalar-te nas ondas com desvelo Levar-te até à lua para dançar Que a lua está longe e mesmo assim Dançar (...)