Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Simplicidades escondidas

06.04.22, Olga Cardoso Pinto
Uma pequena aldeia aninhada entre imponentes fragas, abeira-se discretamente sobre a cidade, mira-a do alto, plena de vistas soberbas para as serras, para os campos e para tanto céu! A subida é a custo, sob o sol quente de uma Primavera que surge tímida. Mas o caminho secreto, escondido daqueles que ali não pertencem, heis que subitamente se abre para nós. Uma rajada de vento desvia as sebes e o pequeno arvoredo que lhe esconde o acesso. Sentimo-nos os eleitos! Temos permissão para (...)

Fotos do meu álbum

28.03.22, Olga Cardoso Pinto
  O que escondem os caminhos sem gente nem civilização? Escondem histórias, revelam fugas...como levanta voo a imaginação! O que escondem as longas veredas ocultas entre a folhagem? Escondem mistérios, revelam sonhos, talvez, quem sabe, muitas miragens...    

Histórias reais

15.03.22, Olga Cardoso Pinto
"Joaquim e Rosário tinham um filho que partira para a guerra. Numa mão levara a espingarda e na outra o cavaquinho e não voltara, ficara por lá, na Flandres como muitos da 4ª Infantaria, a valente Brigada do Minho. Certamente, morto num campo verde de esperança na vitória e manchado de sangue dos heróis, filhos de homens e mulheres que não sabem o que é a guerra, somente o que é a batalha da sobrevivência na labuta do amanhar a terra, do pastorear o gado, da expectativa da (...)

Fotos do meu álbum

30.12.21, Olga Cardoso Pinto
Aqui há sonhos, há projetos, há vida. Há uma vista para o futuro, há sons da Natureza, perfumes singelos e gente genuína. O bulício do mundo fica lá fora, afastado, ausente; aqui há beleza, pureza e quietude.   A oliveira ancestral e as flores do dragoeiro emolduram a vista para a serra.   Foto: algures num recanto do Minho  

Poetizar a fotografia

28.12.21, Olga Cardoso Pinto
E a chuva Lava o tempo, lava a vida, lava a alma E a chuva Rega a rua, rega o mundo, com calma E a chuva Leva o peso, a tristeza, a dor E a chuva Em cada pinga, água fria, gotejo de amor E a chuva Lava a alma, com calma, a dor, gotejo de amor    

Fotos do meu álbum

Árvores frutíferas

07.12.21, Olga Cardoso Pinto
Um souto banhado pelo sol matinal As castanhas que nos deliciam por esta altura do ano, são o fruto de imensos soutos lindos como este. Pródigas árvores que nos dão tantas coisas boas. Esta fotografia foi tirada aquando da Caminhada Ambiental promovida pelo Município de Vila Verde, pela comemoração da semana da Floresta Autóctone, realizada a 27/11/2021.     Para ouvir, Ludovico Einaudi - Una Mattina, com Mercan Dede.      

Fotos do meu álbum

Terras de Bouro

16.11.21, Olga Cardoso Pinto
Como não ficar indiferente a uma paisagem que nos avassala, que nos tira o fôlego...abarcamos com os olhos do rosto e da alma toda a beleza que nos é oferecida, sem preço, depois cada um faz com ela o que quiser, uma memória, uma fotografia ou uma inspiração. Perdem-se os sentidos de urgência, do fazer, para a contemplar assim tão queda e volátil num sol de outono. As serras recortadas, e de aspeto etéreo com a leveza da neblina que as enfeitou pela madrugada. A erva fresca que (...)

Caminhadas inspiradoras

Gerês: Trilho da Águia do Sarilhão

13.10.21, Olga Cardoso Pinto
O fim de semana foi por terras do Gerês, participando no 8º Festival de Caminhadas 2021 promovido pela Associação Viver Turismo do Gerês. Este trilho de 9km, foi uma descoberta fantástica de lugares recônditos e inesquecíveis para desanuviar corpo e mente, pela superação e convívio.   Grata pela oportunidade, pela companhia, pelas amizades criadas e um agradecimento especial aos guias, Pedro e Diana, pelo seu cuidado e carinho. Tal como a organização referiu foi mesmo "uma (...)