Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Feliz Natal!

Ser Natal de coração

24.12.21, Olga Cardoso Pinto
O Natal deveria ser um estado de alma constante, não ser só palavras e trocas de presentes, iluminações e refeições. Há muitos que não são Natal, há muitos que não têm Natal. Desejo um Feliz Natal (em especial com livros) a todos os meus familiares, a todos os amigos e amigas, amigos (as) bloggers, a quem me visita e lê.   Um beijinho especial para aqueles que são Natal de coração.  

Os Nossos Contos de Natal 2021

Os Três Caminhantes

22.12.21, Olga Cardoso Pinto
  Os Três Caminhantes   “O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá.” Madre Teresa de Calcutá   Os passos ecoaram nas lajes de pedra escorregadias. A viela malcheirosa, escura parcamente iluminada pelos archotes, achava-se deserta sem o pregão dos mercadores, sem gritos ou correrias das crianças. O fumo das poucas lareiras, espiralava pelo ar pesado de frio e humidade. Tudo dormia, até o cão sarnento que por ali se arrastava em busca de um osso ou courato. (...)

Livro Contos de Natal

Crónicas Fotográficas

21.12.21, Olga Cardoso Pinto
  O nosso livro Contos de Natal esteve em destaque este fim de semana. Como é muito fotogénico fica bem em qualquer lugar. Desde a intimista e gratificante sessão de autógrafos, na mais encantadora vila piscatória e turística de Portugal - a Ericeira; passando pelo magnífico Palácio Nacional de Mafra, de destacar a sua Biblioteca, até chegar finalmente a uma das (...)

A receita mais original de um doce de Natal

Os nossos Contos de Natal 2021

16.12.21, Olga Cardoso Pinto
Era uma vez na véspera de Natal… Pela cozinha estava tudo desarrumado. Uma ligeira poalha espalhara-se pelo ar, depositando-se languidamente sobre as bancadas, armários e fogão. O lava-loiça abarrotava de utensílios sujos. Taças, talheres e panos. Pela mesa, espalhadas como uma orquestra desafinada, jaziam umas tombadas outras direitas, as mais variadas formas as quais esquecera a sua existência. Um caos! Um horror…e bem junto à banca, encarrapitado no banco - ei-lo! O autor, (...)

Um cheirinho a Natal

Contos de Natal, o nosso livro

06.12.21, Olga Cardoso Pinto
  "O menino sentiu aquele corpo fofo e quente que se aninhava na concha das suas mãos emitindo um som agradável. Levantou uma das mãos e rebrilharam-lhe os olhos quando viu o pequeno pássaro, branco, alvo como a neve que cobria os caminhos em volta da casa. Maravilhado com o minúsculo ser que nas suas pequenas mãos se aconchegava, foi sentar-se à lareira com ela dormitando neste ninho feito de si. Assim ficou por momentos, enquanto a mãe ajudava a idosa a fazer a sua higiene. Qu (...)

Hoje é Natal! Nasceu um Livro!

Contos de Natal dos bloggers do Sapo

03.12.21, Olga Cardoso Pinto
É com um misto de sentimentos que hoje escrevo este post. Sinto muita emoção, orgulho e gratidão por fazer parte deste grupo de autores, que se aventurou nesta empreitada dos contos. Foi pela mão da Isabel que fui puxada para participar em 2020 no desafio dos Contos de Natal, nem imaginava eu no que isto ia dar! Depois o José da Xã (...)

Desafio Conto de Natal 2021

As bolachinhas

01.12.21, Olga Cardoso Pinto
Não, este conto de Natal não é um conto feliz, cheio de luzinhas e prendinhas. Este conto de Natal também não é sobre o Pai Natal, que ali deixou o trenó e foi algures. Este conto de Natal, retratado nesta fotografia tirada nos anos 80, é sobre a Mãe Natal. Sim sobre a companheira do Pai Natal, essa senhora que tão pouco se fala, de aparência redondinha, olhos risonhos e bochechas coradas, sempre de avental e de mãos nas ancas, mangas arregaçadas e cabelo branco preso num (...)

Simbolismos de Natal

01.12.21, Olga Cardoso Pinto
O azevinho está enfeitado pelas pequeninas pérolas vermelhas, vivas e luzidias. As pinhas colhidas recentemente, exalam o odor do frio, do bosque, da caruma fresca. As pequenas flores do heléboro, também chamadas de Rosas de Natal, salpicam de branco o singelo arranjo. Tudo se enfeita, se prepara para a festividade, para a celebração...só faltam as prendas! Pois, as prendas! Sinónimo de assombro após a Consoada, de surpresa, de alegria, o significado do que alguém representa (...)