Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A estrela de Natal

Um conto de Natal em tempo de Reis

06.01.21, Olga Cardoso Pinto
Hoje celebra-se o Dia de Reis, o dia em que os Reis Magos, guiados por uma estrela, levaram as oferendas ao menino Jesus. Dia especial para a troca de presentes, ainda em uso na nossa vizinha Espanha e em tempos idos também em Portugal. Por tal, e com muito carinho partilho em jeito de presente para todos os que aqui me visitam e em especial para a minha querida Isabel, do blog Pessoas e Coisas da Vida, este meu (...)

Tempo de Natal

15.12.20, Olga Cardoso Pinto
Ainda há tempo de Natal? Este será um Natal sui generis para o nosso tempo, pois haverá famílias que não celebrarão a consoada e o dia de Natal à mesma mesa, no mesmo local. Será um Natal peculiar certamente. Mas quantos Natais diferentes tivemos nas nossas vidas? Eu tive alguns. Atormentados, sem alento, sem alegrias…sem espírito de Natal. Logo, este Natal para mim, para a minha família será um Natal de celebração da vida, da união da família, não poderemos estar todos (...)

A melhor prenda de Natal: um livro

30.12.19, Olga Cardoso Pinto
Olá! Estive uns dias ausente daqui do meu cantinho. Espero que o vosso Natal tenha sido bem desfrutado em família e em feliz celebração. Hoje falo de prendas natalícias. Quais as vossas melhores prendas deste Natal? A minha é um livro que recomendo pela sua revelação, pela sua beleza, pelos seus esclarecimentos e ensinamentos. Para os leitores que adoram a Natureza e não só! "A Vida Secreta das Árvores" de Peter Wohlleben revela-nos o mundo misterioso das árvores. (...)

Poesias de Natal

Ary dos Santos

13.12.19, Olga Cardoso Pinto
Quando um Homem Quiser Tu que dormes à noite na calçada do relento numa cama de chuva com lençóis feitos de vento tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento és meu irmão, amigo, és meu irmão E tu que dormes só o pesadelo do ciúme numa cama de raiva com lençóis feitos de lume e sofres o Natal da solidão sem um queixume és meu irmão, amigo, és meu irmão Natal é em Dezembro mas em Maio pode ser Natal é em Setembro é quando um homem quiser Natal é quando nasce uma (...)

Poesias de Natal

Fernando Pessoa

10.12.19, Olga Cardoso Pinto
Natal na Província Natal... Na província neva. Nos lares aconchegados, Um sentimento conserva Os sentimentos passados.   Coração oposto ao mundo, Como a família é verdade! Meu pensamento é profundo, Estou só e sonho saudade.   E como é branca de graça A paisagem que não sei, Vista de trás da vidraça Do lar que nunca terei!   Fernando Pessoa, in 'Poesias'