Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Histórias Infantis ilustradas

O Caracol quer ver o Mar

23.07.20, Olga Cardoso Pinto
O Caracol quer ver o Mar Caracol, caracolinho No seu vagar vai andando Deslizando pelo caminho Sempre congeminando Fantasia e divaga Nesse seu lento caminhar Ansiando por ver a vaga Que se forma em alto mar Nunca viu nada do mundo A não ser a relva e chão Mas bem lá no fundo Vai acalentando a ilusão ... Excerto da história infantil «O Caracol quer ver o Mar» por Olga Cardoso Pinto  

Nascer todas as manhãs

15.07.20, Olga Cardoso Pinto
Nascer Todas as Manhãs «Apesar da idade, não me acostumar à vida. Vivê-la até ao derradeiro suspiro de credo na boca. Sempre pela primeira vez, com a mesma apetência, o mesmo espanto, a mesma aflição. Não consentir que ela se banalize nos sentidos e no entendimento. Esquecer em cada poente o do dia anterior. Saborear os frutos do quotidiano sem ter o gosto deles na memória. Nascer todas as manhãs.» Miguel Torga, in "Diário" -1982 Foto: Sistelo - Arcos de Valdevez  

A fonte que não o é

02.07.20, Olga Cardoso Pinto
A Fonte de Águas Santas que deu o nome à freguesia, na cidade da Maia. Esta fonte milenar encontra-se esquecida nas traseiras do casario que brotou, ao longo dos tempos, em frente à Igreja de Nossa Senhora do Ó. A sua origem perdeu-se na névoa dos séculos, permanecendo, no entanto, a igreja de influências românicas e a lenda que a tornou conhecida. Porém, a atual fonte já nada tem da anterior nascente que foi uma referência na localidade, tanto para os habitantes como para os (...)

Dia da Criança

01.06.20, Olga Cardoso Pinto
Leilão de Jardim Quem me compra um jardim com flores? borboletas de muitas cores, lavadeiras e passarinhos, ovos verdes e azuis nos ninhos? Quem me compra este caracol? Quem me compra um raio de sol? Um lagarto entre o muro e a hera, uma estátua da Primavera? Quem me compra este formigueiro? E este sapo, que é jardineiro? E a cigarra e a sua canção? E o grilinho dentro do chão? (Este é meu leilão!)   Cecília Meireles