Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Nascer todas as manhãs

15.07.20, Olga Cardoso Pinto
Nascer Todas as Manhãs «Apesar da idade, não me acostumar à vida. Vivê-la até ao derradeiro suspiro de credo na boca. Sempre pela primeira vez, com a mesma apetência, o mesmo espanto, a mesma aflição. Não consentir que ela se banalize nos sentidos e no entendimento. Esquecer em cada poente o do dia anterior. Saborear os frutos do quotidiano sem ter o gosto deles na memória. Nascer todas as manhãs.» Miguel Torga, in "Diário" -1982 Foto: Sistelo - Arcos de Valdevez  

A fonte que não o é

02.07.20, Olga Cardoso Pinto
A Fonte de Águas Santas que deu o nome à freguesia, na cidade da Maia. Esta fonte milenar encontra-se esquecida nas traseiras do casario que brotou, ao longo dos tempos, em frente à Igreja de Nossa Senhora do Ó. A sua origem perdeu-se na névoa dos séculos, permanecendo, no entanto, a igreja de influências românicas e a lenda que a tornou conhecida. Porém, a atual fonte já nada tem da anterior nascente que foi uma referência na localidade, tanto para os habitantes como para os (...)

Dar cabo do canastro

27.02.20, Olga Cardoso Pinto
O "canastro" minhoto. O espigueiro é uma construção utilitária e arte popular, construido de forma a guardar o milho, protegendo-o da humidade e dos animais. Geralmente em granito e madeira, tornou-se um elemento emblemático do Minho. As suas origens remontam aos tempos em que os suevos se instalaram na Galiza e norte de Portugal. A sua função era a mesma que a dos nossos dias, no entanto, talvez também fossem armazenados outros cereais. A sua decoração, mais ou menos elaborada, (...)

Desanuviando

Caminhada fotográfica

18.02.20, Olga Cardoso Pinto
A recolher informação para um trabalho em desenvolvimento, estando a tarde ensolarada aproveitei para desanuviar. Ao desfrutar deste encantador recanto na cidade, o Parque de Avioso na Maia, ao som do chilrear da passarada, do grasnar dos patos enamorados e da morna brisa, respirei fundo e tirei algumas fotografias para recordar estes momentos retemperadores. Recarregar energias é essencial, para mim, de preferência perto da Natureza! Nota: no dicionário Priberam, a definição para Desanuviar: (...)

Minhotando

Caminhadas pelo Minho - Vila Verde

02.12.19, Olga Cardoso Pinto
Percorrer caminhos escondidos, onde cada descoberta é uma surpresa. Floresta, lameiros, pastos, ribeiros e levadas. O bucolismo de uma região fantástica onde a Natureza nos acolhe e acarinha. Há muito por descobrir em Vila Verde!    

Caminhar na Natureza: terapia e inspiração

26.11.19, Olga Cardoso Pinto
Como coloquei no título caminhar na Natureza é uma terapia, também uma cura, uma libertação para poder serenar, fazer reset e inspirar-me.  Somos muitos os que apreciam estas caminhadas longe dos ruídos, dos fumos e confusões das cidades, é o voltar à essência e ao primordial que ainda existe em cada um de nós. A floresta tem benefícios que esquecemos, no entanto já vão sendo cada vez mais os que se aventuram nesta magnífica experiência. Para que esta experiência seja (...)