Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Caminhadas inspiradoras

Gerês: Trilho da Águia do Sarilhão

13.10.21, Olga Cardoso Pinto
O fim de semana foi por terras do Gerês, participando no 8º Festival de Caminhadas 2021 promovido pela Associação Viver Turismo do Gerês. Este trilho de 9km, foi uma descoberta fantástica de lugares recônditos e inesquecíveis para desanuviar corpo e mente, pela superação e convívio.   Grata pela oportunidade, pela companhia, pelas amizades criadas e um agradecimento especial aos guias, Pedro e Diana, pelo seu cuidado e carinho. Tal como a organização referiu foi mesmo "uma (...)

Caminhadas inspiradoras

Cavalum wild trails

07.10.21, Olga Cardoso Pinto
"Mantenha-se no trilho, mas prossiga explorando"   Foto: trilhos do Rio Cavalum, Penafiel Estes caminhos estão a ser reencontrados, graças ao carinho e empenho de jovens e amigos que se associaram para preservar e conservar os belos caminhos ao longo do rio Cavalum.   Para quem gosta de caminhar em plena Natureza conheça o grupo Cavalum aqui no Facebook.    

A Paz

Conto

09.01.21, Olga Cardoso Pinto
Era uma vez um menino que se acercou do avô e lhe perguntou o que era a Paz. O idoso conhecedor da guerra que os Homens fazem pelo poder e pelo domínio, respondeu de olhar doce bebendo a expressão do neto: — Sabes meu pequeno, a Paz é muito mais do que não haver guerras. A Paz é como uma árvore… — Uma árvore, avozinho? Como assim? — Sim uma árvore. A árvore antes de o ser terá de ser semeada. A semente lançada à terra, para germinar terá de ser cuidada em bom solo, (...)

Desafio: O que a Paz significa para...

22.12.20, Olga Cardoso Pinto
  Um novo desafio da querida amiga Ana de Deus - escrever sobre a Paz, o que ela significa para mim. O meu contributo foi em jeito de microconto, deu-me muito prazer escrever, trazendo à memória momentos em que os meus filhos questionavam o meu pai sobre tantos assuntos. Adorava ouvi-los, avô e netos, num diálogo de descoberta e de sentimentos. Quantas saudades!  Muito obrigada Ana, por publicares o conto (...)