Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Bordados de Amor

15.04.21, Olga Cardoso Pinto
  Tecedeira   Sinto a chuva no rosto Numa felicidade sem fim Rasgo penas de desgosto Voando procurando por mim   Lavo a alma atormentada Sem condição para a condenar Sinto-me na leveza enlevada Nesta vontade de criar   Bordo em fios bem delgados Teço destinos irreais Encontro mistérios guardados Envolvendo-me em bordados magistrais   Sei quem fui, o que sou Sem tormentas nem dor Sou aquela quem bordou Todos os versos de amor   Imagem: Lenço dos Namorados - Vila Verde  

Poesia para a infância

29.03.21, Olga Cardoso Pinto
CORTAR Cortaram uma árvore E a terra chorou   Cortaram outra árvore E a terra chorou   E tantas árvores mais…   E a terra chorou Chorar tanto também cansa Quem pode enxugar as lágrimas Da terra cansada?   Nem as mãos de uma criança…   Matilde Rosa Araújo in As Fadas Verdes    

Despojos de uma vida

26.03.21, Olga Cardoso Pinto
Ali ficou como um esqueleto, sem vida, sem cor, sem amor Esquecida da luz que a aquecia por dias, por tempos, por momentos A frieza do silêncio e da pedra, abandonada, enfraquecida, esboroada Envolta em mistério da identidade de quem fora, em desbotada existência Abraçada somente pela verdura, pelo caminho que a instiga a resistir A lutar contra os elementos, destemida senhora de pedra, poder em latência Que saúdas o tempo, temerária guerreira, insistindo em subsistir   Música (...)

Verde-Claro

Desafio Caixa de Lápis de Cor

24.03.21, Olga Cardoso Pinto
Hoje participo no Desafio Caixa de Lápis de Cor, criado pela Fátima Bento, do blog Porque Eu Posso.  A cor sugerida é o Verde-Claro, e aqui está a minha contribuição para esta caixa já tão rica em belas e criativas participações. Espero estar à altura do desafio. Obrigada querida Fátima por me fazeres sentir bem-vinda.   Dum ovinho pequenino, não nasce só um passarinho Nasce alguém (...)

Inspiração

23.03.21, Olga Cardoso Pinto
MAR De todos os cantos do Mundo Amo com um amor mais forte e mais profundo Aquela praia extasiada e nua Onde me uni ao mar, ao vento e à lua. Cheiro a terra as árvores e o vento Que a Primavera enche de perfumes Mas neles só quero e só procuro A selvagem exaltação das ondas Subindo para os astros como um grito puro.   Sophia de Mello Breyner Andresen    

Dia Mundial da Poesia

21.03.21, Olga Cardoso Pinto
  A Poesia é a mãe de todas as manifestações artísticas. Gerou e alimentou toda a arte na qual deixamos voar os nossos sentimentos. É a expressão mais bela que um Ser Humano pode manifestar.   "Poesia a língua materna da Humanidade" José Fanha    

A sépia das flores

16.03.21, Olga Cardoso Pinto
Quando as flores murcharem, o vento soprará levando para longe o que delas ficou, serão húmus, voltarão ao solo que as viu florescer Quando as flores esbatidas de cor perderem o viço, serão esquecidas, substituídas por outras de vivos tons e tenras pétalas Quando as flores se esboroarem nas palmas das tuas mãos, saberás que o seu tempo findou, ficando a memória da mancha de cor e do perfume que te envolveu Quando as flores te recordarem o fim de uma vivência, o nascimento de (...)

Um perfeito lugar

01.03.21, Olga Cardoso Pinto
  Vou-te contar uma história de um lindo lugar Onde o amor era o alimento E o beijo o respirar Senta-te aqui pertinho, bem juntinha perto de mim vou contar-te segredos onde o amor não tem fim Escuta bem atenta, com redobrada atenção Pois são confidências de mulher Esta que te fala ao coração Era uma vez um lugar Sem tempo nem idade Não era uma aldeia, vila ou cidade Era um cantinho perfeito De rufar constante e prazenteiro Onde se enleavam os sentimentos como flores num canteiro Germinav (...)