Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

No leito do Mar...

14.07.21, Olga Cardoso Pinto
Fundo do mar No fundo do mar há brancos pavores, Onde as plantas são animais E os animais são flores.   Mundo silencioso que não atinge A agitação das ondas. Abrem-se rindo conchas redondas, Baloiça o cavalo-marinho. Um polvo avança No desalinho Dos seus mil braços, Uma flor dança, Sem ruído vibram os espaços.   Sobre a areia o tempo poisa Leve como um lenço.   Mas por mais bela que seja cada coisa Tem um monstro em si suspenso.     Sophia de Mello Breyner Andresen - (...)

Projetos com carinho

Ilustração decorativa

17.06.21, Olga Cardoso Pinto
Mais um projeto concluído para decoração. As aves e as flores são motivos lindíssimos, como inspiração para estes temas românticos ao estilo provençal. " Uma ave em pleno voo, trinando sobre o jardim, não sei se canta para ela ou se tem dó de mim."    

Fotografia VS Poesia

16.06.21, Olga Cardoso Pinto
Aurora Boreal Tenho quarenta janelas, nas paredes do meu quarto, sem vidros nem bambinelas, posso ver através delas, o mundo em que me reparto. Por uma entra a luz do sol, por outra a luz do luar, por outra a luz das estrelas, que andam no céu a rolar. Por esta entra a Via Láctea, como um vapor de algodão, por aquela a luz dos homens, pela outra a escuridão. Pela maior entra o espanto, pela menor a certeza, pela da frente a beleza, que inunda de canto a canto. Pela quadrada entra (...)

Um caminho

09.06.21, Olga Cardoso Pinto
Sentir Sinto-me presa, espartilhada Num longo destino que me leva ao nada   Sinto-me desmaterializar Na bruma dos dias de finais incertos Na corrida da vida ansiar Pelos sentimentos certos   Sou desequilibrada neste sentir Ansiando pelo que ainda é incerto vir   Cansada da luta Do frenético buliço Envolvo-me em mim Como num cortiço   Sem mantas nem tetos para me cobrir Apresento-me a este mundo e ao que há-de vir Pois pelo que sou não tenho pena nem dor Desenho a direito em (...)

Ontem Rio hoje Mar

05.06.21, Olga Cardoso Pinto
Mar de uma vida No enlevo desses dias Perdi-me como extasiada No mar da vida das almas bravias Sempre soltas nessa amurada Nunca o Mar foi tão forte Nesse espraiar descontraído Traz-me à memória qual a sorte De um partir sem ter saído Num vai e vem de cada onda Vejo vida formar-se e eclodir Tão certa como o mar nesta monda De um voltar sem ter de partir   Foto: Praia da Agudela - Matosinhos    

Inspiração

04.06.21, Olga Cardoso Pinto
Um rio Conta um rio muito antigo que ao levar pressa no correr Nunca pôde voltar atrás corrigindo a caminhada Resilindo-se ao destino de no mar se desvanecer Salgando a pródiga vida da sua água adoçada   Foto: Rio Ave - Ecocaminho da Trofa  

Dia da Criança

01.06.21, Olga Cardoso Pinto
A criança que fui chora na estrada I A criança que fui chora na estrada. Deixei-a ali quando vim ser quem sou; Mas hoje, vendo que o que sou é nada, Quero ir buscar quem fui onde ficou. Ah, como hei-de encontrá-lo? Quem errou A vinda tem a regressão errada. Já não sei de onde vim nem onde estou. De o não saber, minha alma está parada. Se ao menos atingir neste lugar Um alto monte, de onde possa enfim O que esqueci, olhando-o, relembrar, Na ausência, ao menos, saberei de mim, E, (...)

Dia da Mãe

02.05.21, Olga Cardoso Pinto
De Joelhos “Bendita seja a Mãe que te gerou.” Bendito o leite que te fez crescer Bendito o berço aonde te embalou A tua ama, pra te adormecer! Bendita essa canção que acalentou Da tua vida o doce alvorecer … Bendita seja a Lua, que inundou De luz, a Terra, só para te ver … Benditos sejam todos que te amarem, As que em volta de ti ajoelharem Numa grande paixão fervente e louca! E se mais que eu, um dia, te quiser Alguém, bendita seja essa Mulher, Bendito seja o beijo dessa boca! Florbela Espanca, in “Livro de Mágoas”