Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Ramifico-me

24.01.22, Olga Cardoso Pinto
Ramifico-me em mil tendões vegetais, em múltiplas veias de seiva fresca. Cada parte de mim espalha-se em perpétuos volteares, estendendo-se na procura de solo fértil. Uma gota de chuva é um oceano de vida, de proliferação, de energia. De mim já nada avisto, só os meus músculos, deles brotam finas folhas tenras. E avanço, avanço cada vez mais. Sem olhos, sem ouvidos ou boca, mas de sentimentos latentes na procura de ir, de continuar. Transponho os obstáculos, pedras, raízes, (...)

No Inverno...

19.01.22, Olga Cardoso Pinto
Pisco-de-peito-ruivo: o trovador viajante do Inverno. Adorável ave! Singela no tamanho, mas de imensa beleza no porte e no canto. Anuncia dias frios pelos jardins, campos e cidade, trauteando a melodia que alegra quem o escuta. É o mensageiro de boas-novas. Tenta encontrá-lo, ele anda perto de ti.    

Fotos do meu álbum

Querida Cidade Invicta!

18.01.22, Olga Cardoso Pinto
    As ruas sempre agitadas pelo tráfego, num dia de inverno. Um final de dia ou um início de noite. A chuva que caiu transformou as estradas em espelhos onde as luzes artificiais se refletem. O vapor sai-nos das bocas coado pelas máscaras que impedem o contágio. Olho em volta e cada um destes seres envolve-se na escuridão procurando o refúgio de casa. Ao longe, ouve-se música e dou comigo a cantarolar a conhecida melodia. Elevo os olhos ao negro céu, as nuvens dissiparam-se. (...)

Pormenores

Flores ilustradas

17.01.22, Olga Cardoso Pinto
Pormenor de ilustração - cravos túnicos - lindas cores e constrastes numa flor magnífica. É comestível e ótima para as abelhas e borboletas, além de afastar insetos indesejáveis. A sua simbologia está associada ao deus etrusco Tages (deus da sabedoria) - daí também o nome cravo tagete. Esta flor é sinónimo de ligação à terra, ao bom cultivo, à renovação e fertilidade.    

Sente

14.01.22, Olga Cardoso Pinto
  SENTE Tudo é ilusão, mentira, engano. Dizes tu convictamente. Mas o espelho repete a nota e responde: mente, mente, mente… Tudo é farsa, logro, quimera. Falas eloquentemente sem restrição. Os teus olhos desenganam e respondem: não, não, não… O invólucro que vestes como capa que te cobre o sentir, Leva-te a viver uma vida que mata o senso no mentir. Desprende as amarras, livra-te desse invólucro que te tolhe o coração. Vive o sonho, a realidade, dá azos à imaginação. Olh (...)

Feliz Citação

13.01.22, Olga Cardoso Pinto
"É preciso falar cara a cara para poder ler a alma no rosto, para que o coração soe em palavras. Uma palavra dita com convicção, com plena sinceridade e sem medo, vale muito mais que dez folhas de papel cobertas de palavras." Fiódor Dostoiévski     

Versos para a Benedita

07.01.22, Olga Cardoso Pinto
  Passos pequeninos Pé ante pé, lá vais vacilando Caminhas decidida sem nunca parar Agora que o passo te desafiando Leva-te a querer tudo explorar Nesses teus pequeninos pés Desejosa de tudo transpor Reside o segredo de quem és Voluntariosa, meu doce anjo de amor!    

Amor maternal

06.01.22, Olga Cardoso Pinto
    "A recente mãe mirava o seu pequeno varão, não poderia acolhê-lo, pois seria a sua morte! O amor maternal impedia-a de ficar com a criança, um despaupério para quem não sentiu, entre gemidos e dores atrozes que parecem devorar as entranhas, o broto germinado dentro de si. Chorou longamente, enquanto amamentava a pobre criança em vésperas de ficar órfã de mãe viva. Beijou-o vezes sem conta. Despiu-o e vagarosamente ungiu-o com azeite para o proteger contra os maus (...)

Poetizar a fotografia

04.01.22, Olga Cardoso Pinto
Vai alto pela folhagem Um rumor de pertencer, Como se houvesse na aragem Uma razão de querer. Mas, sim, é como se o som Do vento no arvoredo Tivesse um intuito, ou bom Ou mau, mas feito em segredo, E que, pensando no abismo Onde os ventos são ninguém, Subisse até onde cismo, E, alto, alado, num vaivém De tormenta comovesse As árvores agitadas Até que delas me viesse Este mau conto de fadas.   Poesia ortónima de Fernando Pessoa, poesia lírica, 5-9-1933.    

Feliz Citação

O 1º post de 2022

01.01.22, Olga Cardoso Pinto
“Butterflies are like women – we may look pretty and delicated, but baby, we can fly through a hurricane.” “As borboletas são como as mulheres - podemos parecer bonitas e delicadas, mas querida, podemos voar no meio de um furacão.” Betty White - atriz, comediante, apresentadora e escritora norte-americana. 17.01.1922 * 31.12.2021   Para ver a ilustração completa, clique aqui. (...)