Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Cor da Escrita

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Páginas onde a ilustração e o desenho mancham de cor as letras nascidas em prosa ou em verso!

Poetizar a fotografia

28.12.21, Olga Cardoso Pinto
E a chuva Lava o tempo, lava a vida, lava a alma E a chuva Rega a rua, rega o mundo, com calma E a chuva Leva o peso, a tristeza, a dor E a chuva Em cada pinga, água fria, gotejo de amor E a chuva Lava a alma, com calma, a dor, gotejo de amor    

Pais de Anjos

Dia para a Sensibilização da Perda Gestacional e Morte Neonatal

15.10.21, Olga Cardoso Pinto
    Como descrever um sentimento que é um misto de perda, de dor por alguém que nunca chegou a nascer? Foste um Ser, um Filho, agora Anjo. Um Filho gerado em amor, sem ter nome, colo ou funeral? Apenas um adeus, um vazio, uma saudade, uma memória que guardo em ecografias amarelecidas e testes de gravidez com data. Dou graças pelos filhos, os teus irmãos, agora homens e, no entanto, a tristeza de não estares aqui fisicamente, só na recordação do bater compassado do teu (...)

Tempestades

14.06.21, Olga Cardoso Pinto
Dizem que a violência das tempestades é a Natureza a manifestar o seu mau-humor, eu acho que são a forma de Ela demonstrar a sua força, a sua energia, para que tudo volte ao lugar. Pensamento poético é certo, sem as justificações científicas das quais pouco entendo, mas que no entanto me levam a admirar tamanha beleza tão parcamente refletida nesta fotografia - faltam outras sensações que me trouxeram à memória tempos de infância. O odor a terra molhada, o soprar forte do (...)

Desafio Cartas do Correio

06.04.21, Olga Cardoso Pinto
Hoje respondo ao desafio Cartas do Correio proposto pela Célia do blog Raios de Sol. Obrigada Célia por te lembrares de mim e me desafiares. Um beijinho grande. Esta minha carta não vai pelo correio, tão pouco para o e-mail, vai algures para o céu, tenho a certeza.     Meu querido Pai, Hoje escrevo-te num dia lindo de sol. Nesta Primavera que nasceu quente, cheiinha de (...)